HomeEconomiaBalanço

Embargo da China à carne já afetou um pouco exportações no 3º trimestre, diz IBGE

Embargo da China à carne já afetou um pouco exportações no 3º trimestre, diz IBGE

Mapa cita ‘problemas no transporte’ em suspensão de compra de carne da BRF pela China
Exportações de carne bovina de Mato Grosso caem 56,2%, aponta Imac
Veja como Mato Grosso pode contornar vulnerabilidades da carne, segundo o Imac

A queda recorde nas exportações, que tombaram 9,8% no Produto Interno Bruto (PIB), na comparação com o segundo trimestre, já foi afetada pelo embargo da China às compras de carne do Brasil, informou nesta quinta-feira, 2/11, Rebeca Palis, coordenadora de Contas Nacionais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo os pesquisadores do IBGE, como o embargo começou no início de setembro, já produziu efeitos sobre o PIB do terceiro trimestre.

Conforme os dados das Contas Nacionais Trimestrais, divulgados hoje pelo IBGE, o tombo de 9,8% nas exportações foi o maior, nessa ótica de comparação, já registrado na série histórica do PIB, iniciada em 1996.

Segundo Palis, apesar do efeito do embargo à carne no fim do terceiro trimestre, o principal motivo para tamanha queda nas exportações foi a base de comparação elevada no segundo trimestre. Na comparação com o terceiro trimestre de 2020, as exportações avançaram 4,0%, abaixo do salto de 14,2% visto no segundo trimestre ante igual período de 2020.

Já as importações, que caíram 8,3% ante o segundo trimestre, mas saltaram 20,6% sobre o terceiro trimestre de 2020, tiveram impacto da compra e fabricação de vacinas.

Na comparação interanual, as importações foram puxadas pela indústria automotiva, por farmacêuticos e farmoquímicos, máquinas e equipamentos e produtos químicos.

Segundo Palis, o Brasil já importa bastante farmoquímicos, mas, no terceiro trimestre, a compra de vacinas prontas contra a covid-19 e de insumos para produzir as vacinas fabricadas localmente elevaram ainda mais essas importações.

Fonte: Estadão Conteúdo