HomeProdutividade

Cultivo do milho em Mato Grosso tem novo estímulo

Cultivo do milho em Mato Grosso tem novo estímuloGrupo aposta na rentabilidade do milho-pipoca. Foto: Wenderson Araújo/ CNA

Há um mês em chamas, Cristalino já perdeu área de 5 mil campos de futebol
Entenda por que o agro é excluído de mercados de carbono
Em Sidrolândia (MS), JBS é acusada de trabalho escravo de terceirizados

O Grupo Morena elevou seu investimento no milho-pipoca, que chega a ser duas vezes mais rentável que a variedade que se usa no biocombustível. A 51 km de Campo Novo do Parecis, município com 46 mil habitantes, sua fazenda opera a todo vapor. As informações são do Globo Rural.

Com uma capacidade para armazenar 500 mil sacas do grão, a expectativa é colher na segunda safra entre 845 mil e 878 mil sacas de milho e de 198 mil a 209 mil sacas de milho-pipoca. A previsão era começar a colheita na segunda quinzena de maio. Para dar vazão ao cereal, a companhia ampliou de seis para 14 o número de bitrens para transportar os grãos.

2024 é o primeiro ano que o Grupo Morena plantou milho-pipoca e é também a primeira vez que vai beneficiar o grão. A aposta na cultura deveu-se à queda dos preços do milho desde 2023. 

“Nos últimos anos a gente investia mais no milho, que vinha com rentabilidade muito boa por causa da demanda para etanol. Mas neste ano tem uma superoferta, e os preços acabaram recuando muito. De R$ 70 por saca, ele caiu para R$ 40 a R$ 38 (a saca). O milho-pipoca mostrou uma rentabilidade pouco mais que o dobro do milho por hectare”, disse Romeu José Ciochetta, CEO do Grupo Morena.

O milho-pipoca tem expectativa de produtividade  de 90 a 95 sacas por hectare; para o milho, é de 130 a 135 sacas por hectare.

Potencial

O Estado tem o maior número de usinas de etanol de milho no Brasil, com 22 unidades em operação e 11 aprovadas para construção. A moagem de milho para etanol em MT cresceu 37,8% na safra 2023/24, para 10,11 milhões de toneladas. A produção do biocombustível foi de 4,54 bilhões de litros, ou 39,2% a mais do que na temporada anterior, segundo dados do Sindicato das Indústrias de Bioenergia de Mato Grosso (Bioind MT) e do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea). Para a safra 2024/25, a expectativa é que a produção de etanol de milho  cresça 14,8%, para 5,21 bilhões de litros.

Com queda na rentabilidade do milho somada às margens mais atrativas do milho-pipoca, o Grupo Morena achou importante diversificar a produção. Para 2025, o grupo avalia ampliar a área da cultura, especialmente se fechar acordo de fornecimento para a General Mills.