HomeEcologia

Brigadistas e bombeiros impedem que fogo atinja reserva

Brigadistas e bombeiros impedem que fogo atinja reservaTransporte dos brigadistas em áreas de difícil acesso. Foto: Washington Mota/ICMBio

BNDES anunciará ampliação de recursos ao agronegócio, diz Fávaro
Seca faz hidrelétricas reterem água em reservatórios
Segue para a Câmara projeto de incentivo à navegação de cabotagem no país

Brigadistas do Instituto Chico Mendes conseguiram conter, no último fim de semana, o avanço do fogo na porção nordeste do Parque Nacional do Pantanal Mato-grossense. As chamas ameaçavam atingir a área da Reserva Particular do Patrimônio Natural Dorochê.

Formada por 11 brigadistas, a equipe realizou combate direto e indireto ao incêndio e, em cerca de 30 horas, mais de três quilômetros de linhas de defesa foram traçadas no terreno, ao cavarem trincheiras para evitar a propagação do fogo subterrâneo nas turfas características do solo do Pantanal.

O grupo de brigadistas mantém o monitoramento da área para identificar e combater novos focos de chamas.

“O  controle dos incêndios no interior do Parque é importante ser realizado ainda nesta época do ano, no início do período seco, pois com o avanço da seca na planície pantaneira há maior tendência de intensificação das chamas e maior dificuldade para os combates aos incêndios, visto que há a previsão de seca severa para o Pantanal em 2024.”, disse  o chefe do Parque Nacional do Pantanal Mato-grossense, Nuno Rodrigues da Silva

O incêndio no interior do Parque Nacional do Pantanal, que atingiu mais de 10 mil hectares, ocorre em áreas que são acessíveis apenas com o uso de helicópteros para o transporte de brigadistas e equipamentos.

Uma aeronave Cougar, do Exército Brasileiro, transportou os brigadistas até os locais de duas frentes do incêndio no sábado, 6/7, pela manhã, sendo uma na porção nordeste e outro na porção central da unidade de conservação.

Na frente nordeste, a equipe de 11 brigadistas do ICMBio pernoitou no local, atuando também no período noturno, quando as condições climáticas são mais favoráveis ao combate. Na frente central, equipe composta por três brigadistas do ICMBio e quatro bombeiros militares da Força Nacional também realizou o combate direto e indireto ao fogo e confecção de linhas de defesa, retornando à sede do Parque Nacional no mesmo dia.

Incêndio na Chapada dos Guimarães. Foto: Michel Alvim/ Secom-MT

Chapada dos Guimarães

O Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso extinguiu mais um incêndio florestal em Chapada dos Guimarães nesta segunda-feira, 8/7. O trabalho de combate ao fogo continua em Poconé, Cáceres e Cuiabá. O incêndio extinto pelos militares em Chapada dos Guimarães estava localizado em uma fazenda na região do distrito de Água Fria. As equipes foram enviadas na tarde de domingo, 7/7, e o fogo foi considerado extinto.

Também está sendo combatido um incêndio em Porto Conceição, em Cáceres, com a divisão dos bombeiros às margens do Rio Paraguai; e o incêndio em Poconé, na Fazenda Cambarazinho, está no processo de rescaldo para evitar a re-ignição do fogo. Em Cuiabá, no Morro São Jerônimo, as equipes continuam no trabalho de combate ao fogo.

Estrutura

Atuam no Pantanal mato-grossense 36 bombeiros, sete servidores do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) e Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), oito servidores da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) e cinco servidores da Defesa Civil do Estado.

Este efetivo conta com o apoio de um avião, um helicóptero, oito caminhonetes, cinco pás-carregadeiras, quatro caminhões auto tanque, duas escavadeiras, duas motoniveladoras, duas patrolas, dois quadriciclos, um caminhão pipa, uma pá carregadeira e um trator.

Além disso, participam também das ações brigadistas do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), e integrantes do Exército Brasileiro, Força Nacional, Marinha do Brasil e Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

O Batalhão de Emergências Ambientais (BEA) faz o monitoramento de todos os incêndios florestais do Estado, via satélite, para orientar as equipes em campo.

A estiagem severa e a baixa umidade do ar têm contribuído para a propagação das chamas e o Corpo de Bombeiros pede que a população colabore e respeite o período proibitivo. A qualquer indício de incêndio, os bombeiros orientam que a denúncia seja feita pelos números 193 ou 190.

Com informações de ICMBio e Secom-MT