HomeEcologia

Fonte solar mantém ritmo de expansão e chega a 43 GW no País

Fonte solar mantém ritmo de expansão e chega a 43 GW no PaísFonte responde por 18,2% da matriz elétrica brasileira. Foto: Rawpixel

Choques ambientais e climáticos podem afetar inflação, diz presidente do BC
‘Alguns modelos devem ser entregues apenas em 2022’, diz Fenabrave
Índice de Preços de Alimentos cai 0,9% em dezembro e tem alta de 28% em 2021, diz FAO

A energia solar fotovoltaica ultrapassou a marca de 43 gigawatts (GW) de capacidade instalada. De janeiro a maio foram acrescentados 6 GW de potência solar, somando grandes usinas, contratadas em leilões do governo, e geração distribuída (GD), em telhados, fachadas e no solo, de acordo com a ABSOLAR.

Com isso, a fonte hoje responde por 18,2% da matriz elétrica brasileira, informam Canal EnergiaDiário do NordesteCanal Solar e Rádio Guaíba. Segundo a associação, os investimentos acumulados totalizam mais de R$ 202 bilhões desde 2012, com a geração de mais de 1,3 milhão de empregos verdes.

A maior fatia da potência instalada corresponde à GD, com mais de 29,2 GW, movimentando cerca de R$ 143,4 bilhões em investimentos. Já no segmento de geração centralizada, as grandes usinas solares possuem mais de 13,8 GW de potência no país, com cerca de R$ 58,9 bilhões em investimentos acumulados.

Desde 2012, os negócios no setor garantiram mais de R$ 62 bilhões em arrecadação aos cofres públicos, de acordo com a ABSOLAR. E a fonte já evitou a emissão de 52 milhões de toneladas de CO2 na geração elétrica.

“Além de acelerar a descarbonização das atividades econômicas e ajudar no combate ao aquecimento global, a fonte solar tem papel cada vez mais estratégico para a competitividade dos setores produtivos, alívio no orçamento familiar, independência energética e prosperidade das nações”, disse Rodrigo Sauaia, CEO da entidade.

Os ministérios de Minas e Energia e das Cidades devem anunciar, na semana que vem, que 100% das casas do programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV) terão energia fotovoltaica. A afirmação é do ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, informam ValorCanal Energia e Estado de Minas. Segundo Silveira, a estratégia tem como objetivo principal estimular a geração de empregos.