HomeEcologia

Militares criaram perfis falsos para dar informação enganosa sobre Amazônia

Militares criaram perfis falsos para dar informação enganosa sobre AmazôniaMilitares usavam as redes para mentir sobre a Amazônia. Carlos Celestino/Secom-MT

Abertura de mercado canadense anima produtores de carne em MT
Consultoria do Senado diz que PL dos agrotóxicos é inconstitucional
Mudanças climáticas são ameaça grave ao nosso bem-estar, diz IPCC

A empresa Meta derrubou uma rede de contas e perfis falsos que divulgava notícias enganosas sobre desmatamento na Amazônia, além de atacar ONGs dedicadas ao meio ambiente. De acordo com a companhia, os autores da farsa são dois oficiais do Exército Brasileiro. A identidade deles não foi revelada.

De acordo com reportagem da CBN, ao todo, foram desativados 14 perfis e nove páginas no Facebook. No Instagram foram removidos 39 perfis.

Não podemos compartilhar muitos detalhes de como nossa investigação chegou aos militares. Quanto mais compartilhamos, mais essas redes conseguem se esconder. Usamos sinais técnicos e comportamentais”, disse  chefe de política de segurança global do Facebook, Nathaniel Gleicher, ao Estadão, que também noticiou o caso.

O que se sabe é que os oficiais responsáveis pela rede estão na ativa. “Os nomes deles apareciam em registros governamentais e documentos públicos militares, incluindo os resultados de exames de admissão no Exército e uma tese de graduação da Academia Militar, o que nos permitiu determinar que suas carreiras começaram em 2012 e 2014”, diz o relatório.

Os perfis e páginas, que  simulavam serem ativistas que lutam pela preservação da Amazônia, postavam informações que diziam que “nem todo o desmatamento da floresta é prejudicial”,  sobre o Brasil ser líder na proteção ao meio ambiente, além de elogios à atuação do governo no combate a crimes contra a  natureza. As redes também atacavam ONGs ambientais como Imazon, o Instituto Socioambiental (ISA), o Greenpeace e o WWF.

De acordo com as reportagens, as informações fazem parte de um relatório trimestral que a empresa produz sobre ameaças na plataforma. E esta  foi a primeira vez que tiraram do ar uma rede de perfis falsos que se dedicavam a tratar de assuntos relacionados ao meio ambiente.