HomeEcologia

Como a mudança climática altera o ciclo global da água

Como a mudança climática altera o ciclo global da águaReservatório no Centro-Oeste do Brasil. Foto: Fabio Pozzebom/ Agência Brasil

Conheça projeto que já reflorestou 1.600 hectares de Cerrado
Banco que financiou plantio ilegal vai pagar multa de R$ 47 milhões
Capacidade solar no Brasil atinge 42 GW e equivale a 3 usinas de Itaipu

Tanto na forma gasosa, líquida ou sólida, a água é parte do ciclo natural (ciclo hidrológico) que reabastece continuamente o suprimento necessário à sobrevivência de todos os seres vivos. 97% da água na Terra é salgada, e o 3% restante, de água doce, serve para consumo, banho, irrigar plantações, entre outros. Mas desse total, a maior parte está fora de nosso alcance e nos resta cerca de 1% das reservas hídricas totais para manter toda a vida no planeta. O ciclo hidrológico vem se transformando rapidamente, em grande parte devido à ação humana, trazendo impactos significativos. As informações são do site DW.

Estudos recentes demonstram que em certas regiões o ciclo da água está se acelerando, em reação às mudanças climáticas ditadas pela ação humana. Temperaturas mais altas aquecem a atmosfera inferior, intensificando a evaporação, injetando mais vapor no ar e aumentando a probabilidade de precipitação pluvial, muitas vezes na forma de tempestades. Por outro lado, o aumento da evaporação também pode agravar a situação em áreas propensas a secas, pelo fato de o líquido escapar para a atmosfera em vez de permanecer no solo, onde é necessário.

“A aceleração do ciclo hidrológico tem implicações tanto para o oceano, como para o continente, onde as tempestades podem se tornar cada vez mais intensas. Essa maior quantidade de água circulando na atmosfera também explicaria o incremento das precipitações detectado em algumas áreas polares, onde o fato de estar chovendo em vez de nevar vem acelerando o derretimento”, disse a principal autora do estudo, Estrella Olmedo, num comunicado à imprensa.

É possível reverter?

Para os pesquisadores, são possíveis algumas medidas imediatas para estabilizar o ciclo hidrológico, como restaurar as zonas úmidas e repensar a agricultura, incorporando técnicas de cultivo que conservem a água e fortaleçam o solo. Tudo isso, pode ajudar a manter e restaurar a capacidade do solo de absorver, purificar e armazenar água. Restabelecer um estado mais natural dos rios e hidrovias é outro modo de reverter parte dos danos.

LEIA MAIS:

Maioria dos brasileiros ignora que Cerrado é fonte nacional de água

Centro-Oeste pode perder 40% de disponibilidade de água até 2040