HomeEcologia

Sedec-MT emitiu 190 certificados de taxa de reposição florestal

Sedec-MT emitiu 190 certificados de taxa de reposição florestalFundo Desenvolvimento Florestal visa compensação ambiental. Foto: Pexels

MT firma acordo com MapBiomas para monitorar crimes ambientais
Banqueiros condenam desmatamento por trazer prejuízos ao país
Dinheiro público pagou seguro para fazendas desmatadas ilegalmente

O Fundo de Desenvolvimento Florestal de Mato Grosso (Desenvolve Floresta), da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec) já emitiu mais de 190 certificados de taxa de reposição florestal, desde que  foi criado em março de 2022. O fundo é a opção mais econômica para o proprietário rural que precisa repor a área nativa desmatada em sua propriedade e sua contribuição é um mecanismo de compensação pela supressão da vegetação nativa.

“A taxa é muito menor do que os valores praticados em outras modalidades. Quem escolhe fazer a reposição florestal de sua propriedade por meio da Sedec pode efetuar o pagamento à vista ou de forma parcelada. A análise dos requerimentos é feita de forma ágil, e os certificados são emitidos em menos de 15 dias a partir do pagamento das taxas”, explicou César Miranda,  secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico.

A taxa para reposição florestal é calculada levando em consideração a área total do desmate e o produtor que compensar por tora e lenha. O valor para a reposição florestal no mercado costuma flutuar entre R$ 13 e R$ 15, porém o Desenvolve Floresta consegue oferecer preços três vezes mais baratos. Em fevereiro, por exemplo, um metro de lenha pode ser adquirido por R$ 4,39.

“O governo tem compromisso em desenvolver a agroindústria, sem se esquecer do setor ambiental. Então, todo o dinheiro arrecadado por meio do Desenvolve Floresta é reconduzido para atividades de florestamento, reflorestamento, manejo florestal sustentável, pesquisa florestal, assistência técnica e extensão rural dentro do Estado de Mato Grosso”, finalizou.

Para aderir ao Fundo Desenvolve Floresta, o produtor deve acessar este site.

Fonte: Governo de MT