HomeAgriculturaProdutividade

Perdas na safra de soja somam 18,67 milhões de toneladas, diz StoneX

Perdas na safra de soja somam 18,67 milhões de toneladas, diz StoneX

Comprador de milho segue retraído e preços continuam em queda, diz Cepea
Cresce a procura por bioinsumos em função dos preços dos fertilizantes
Imea: Área de algodão de MT deve crescer 13,32% em 2021/22

As perdas na safra de soja brasileira 2021/22 somam 18,67 milhões de toneladas ante o potencial inicial, estima a consultoria StoneX. A consultoria projeta que a produção na safra brasileira alcance 126,46 milhões de toneladas – queda de 12,86% ante o recorde estimado inicialmente de 145,12 milhões de toneladas. O volume, se confirmado, será 6,91% menor que os 135,84 milhões de toneladas colhidas no ciclo 2020/21.

O corte na safra brasileira deve-se a perdas no centro-sul, com rendimentos abaixo do esperado. O cenário é de redução da oferta da oleaginosa”, disse o consultor de gerenciamento de risco da StoneX Brasil, Guilherme Bernardinelli.

Bernardinelli falou durante apresentação das estimativas no evento “Atualização das Estimativas da Safra Brasileira e Impactos do La Ninã na Safra Sul-Americana”, realizado na quinta-feira, 3/2.

A consultoria estima área plantada com o grão de 40,65 milhões de hectares ante 38,67 milhões de hectares semeados em 2020/21. A produtividade projetada é de 51,84 sacas por hectare, ante 54,96 sacas por hectare estimados em janeiro e 58,54 sacas por hectare colhidas no ciclo passado.

Ajustes positivos na produtividade esperada em Mato Grosso, Goiás, Bahia e Piauí não compensam as perdas no Sul”, afirmou Bernardinelli.

Diante da menor produção, a StoneX projeta também recuo nas exportações, que devem somar 80 milhões de toneladas em 2021/22, abaixo dos 86,11 milhões de toneladas exportadas em 2020/21 e também menor que as 84 milhões de toneladas previstas em janeiro. O consumo doméstico é estimado em 48,20 milhões de toneladas em 2021/22, superior aos 47,50 milhões de toneladas de 2020/21 e inferior aos 49 milhões de toneladas projetadas pela consultoria em janeiro.

Fonte: Estadão Conteúdo