HomeAgriculturaProdutividade

Perdas na safra de soja somam 18,67 milhões de toneladas, diz StoneX

Perdas na safra de soja somam 18,67 milhões de toneladas, diz StoneX

Exportações de soja devem atingir US$ 58 bilhões em 2022, diz Abiove
Soja e milho garantem aumento de 12,5% na produção de grãos para safra 2021/22
Clima adverso frustra safra de grãos 2020/21, aponta Conab

As perdas na safra de soja brasileira 2021/22 somam 18,67 milhões de toneladas ante o potencial inicial, estima a consultoria StoneX. A consultoria projeta que a produção na safra brasileira alcance 126,46 milhões de toneladas – queda de 12,86% ante o recorde estimado inicialmente de 145,12 milhões de toneladas. O volume, se confirmado, será 6,91% menor que os 135,84 milhões de toneladas colhidas no ciclo 2020/21.

O corte na safra brasileira deve-se a perdas no centro-sul, com rendimentos abaixo do esperado. O cenário é de redução da oferta da oleaginosa”, disse o consultor de gerenciamento de risco da StoneX Brasil, Guilherme Bernardinelli.

Bernardinelli falou durante apresentação das estimativas no evento “Atualização das Estimativas da Safra Brasileira e Impactos do La Ninã na Safra Sul-Americana”, realizado na quinta-feira, 3/2.

A consultoria estima área plantada com o grão de 40,65 milhões de hectares ante 38,67 milhões de hectares semeados em 2020/21. A produtividade projetada é de 51,84 sacas por hectare, ante 54,96 sacas por hectare estimados em janeiro e 58,54 sacas por hectare colhidas no ciclo passado.

Ajustes positivos na produtividade esperada em Mato Grosso, Goiás, Bahia e Piauí não compensam as perdas no Sul”, afirmou Bernardinelli.

Diante da menor produção, a StoneX projeta também recuo nas exportações, que devem somar 80 milhões de toneladas em 2021/22, abaixo dos 86,11 milhões de toneladas exportadas em 2020/21 e também menor que as 84 milhões de toneladas previstas em janeiro. O consumo doméstico é estimado em 48,20 milhões de toneladas em 2021/22, superior aos 47,50 milhões de toneladas de 2020/21 e inferior aos 49 milhões de toneladas projetadas pela consultoria em janeiro.

Fonte: Estadão Conteúdo