HomeEconomia

Cotação do milho de Mato Grosso fica acima do preço de Chicago

Cotação do milho de Mato Grosso fica acima do preço de Chicago

Exportação de carne bovina de MT cresce 42%
Volume de abates em dezembro foi o maior de todo o ano de 2021 em MT
Frete atinge níveis recordes em MT com avanço da colheita de soja

O diferencial de base entre os preços do milho em Mato Grosso e Chicago vem chamando a atenção nas últimas semanas. Diferentemente do cenário visto no mesmo período do ano passado, quando as cotações do cereal na CME-Group se encontravam acima das registradas em MT, a saca do milho no Estado se encontra R$ 11,09 acima das cotações do cereal norte-americana.

De acordo com a conjuntura atual, os preços do cereal norte-americano seguem sendo pressionados pelas melhores condições climáticas. Por outro lado, embora o milho em Mato Grosso esteja em época de maior oferta, devido ao período de colheita, os preços seguem em alta, uma vez que as estimativas de produção nacional são de queda, como mostra o relatório semanal do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) divulgado na segunda-feira (2/8).

Para se ter ideia, segundo o Imea, a produção esperada do cereal foi reduzidas em 11,07% ante a safra 19/20. Com isso, os preços seguem impulsionados pelas expectativas de menor oferta do grão, aumentando ainda mais as diferenças entre MT e Chicago.

No comparativo entre estimativas de produtividade por regiões, as áreas não apresentaram alterações e seguem previstas em 5,68 milhões de hectares. Referente à produtividade, com a colheita entrando em sua reta final, foi possível avaliar melhor o impacto do clima nas lavouras. Com isso, a produtividade apresentou um reajuste de -0,28% ante ao relatório passado, exibindo um rendimento de 93,54 sc/ha. Isso porque, algumas regiões apontaram incremento na produtividade esperada, como a oeste que demonstrou um aumento de 6,92%.

Por outro lado, regiões como a Sudeste indicaram queda nos rendimentos ante o último relatório. Essa diferença de direções foi pautada pelas condições climáticas que cada região foi submetida no decorrer da safra. Por fim, com a manutenção da área e a redução nos rendimentos, a produção foi revisada para 31,91 milhões de toneladas, queda de 88,06 mil toneladas ante o relatório anterior.

Subindo

A forte demanda interna pelo milho disponível no Estado continuou influenciando na alta de 1,22% do indicador Imea, que ficou cotado na média de R$ 77,88/sc.

Alta

Os preços do cereal na B3 apresentaram alta de 3,23% em relação à semana passada. Com isso, as cotações atingiram a média de R$ 101,16/sc.

Queda

As cotações do cereal norteamericano na CME–Group corrente recuaram 2,08% no comparativo semanal. Com isso, o preço médio ficou em torno dos US$ 5,51/bu.

Fonte: Imea