HomeEconomia

Mapa e BNDES discutem criação de linha de crédito rural em dólar

Mapa e BNDES discutem criação de linha de crédito rural em dólar

Mineração usa 578 bilhões de litros de água e pode ameaçar agro
Desmate avança sobre a Amazônia e acende alerta para o agronegócio
Óleo vegetal isolante é estratégia para cadeia energética sustentável

O Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) discute com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a criação de uma linha de crédito rural em dólar para financiar quem investe no campo. Um programa piloto deve ser lançado nos próximos dias, no entanto há conversas para tentar tornar o instrumento permanente, de acordo com reportagem do Valor Econômico. 

Carlos Augustin, assessor especial do Mapa, apresentou a ideia para Aloizio Mercadante, presidente do BNDES. Pela sugestão, o banco vai repassar às instituições credenciadas (bancos oficiais, cooperativas de crédito e bancos de montadoras de máquinas agrícolas) os recursos captados em dólar para financiar a compra de equipamentos, a construção de armazéns e, ainda, investimentos para a conversão de pastagens degradadas em lavouras.

Augustin defende juros mais baixos, no entanto a previsão é que as taxas fiquem em torno de 8% ao ano. A linha deve atender produtores de grande porte que estão familiarizados com as operações em moeda estrangeira e tenham gastos e faturamento atrelados ao dólar, o que diminui o risco da variação cambial.

“Entendo que pode parecer um risco para o pequeno produtor, mas para quem planta soja, milho e algodão, as commodities exportáveis, é melhor com uma taxa real de 8% ao ano”, disse o assessor. “Se o dólar cai, a receita cai também. Mas se o dólar cai e eu fico devendo em real mais 12,5% ao ano, eu quebro”, explicou.

Linha complementar

O assessor disse que a nova linha é um modelo de financiamento a ser testado no mercado para complementar as linhas existentes e dar mais opções de crédito privado para os produtores.

“Não vamos substituir crédito rural oficial por dólar”, garantiu.

Essa pode ser uma alternativa para um ambiente de juros altos para investimentos de longo prazo e linhas equalizadas do Plano Safra com sinais de esgotamento precoce.

O Ministério da Agricultura analisa o cenário futuro do dólar para avalizar o novo instrumento e sua equipe técnica estuda uma forma de propor a subvenção federal ao programa. Porém deve enfrentar resistência por causa do orçamento reduzido e da competição que o crédito em dólar para grandes produtores teria com programas voltados aos pequenos. O Valor procurou o BNDES, mas o banco não quis comentar.