HomeEconomiaBalanço

Tombo na agropecuária de 8% puxou para baixo o resultado do PIB, avalia IBGE

Tombo na agropecuária de 8% puxou para baixo o resultado do PIB, avalia IBGE

Governo suspende PIS/Cofins na importação de milho
Ministra Tereza Cristina alerta para crise hídrica
Alta do preço de fertilizantes e petróleo impactou agro, diz relatório

O tombo de 8,0% no Produto Interno Bruto (PIB) da agropecuária no terceiro trimestre ante o segundo trimestre, informada nesta quinta-feira, 2/12, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), foi o pior desempenho nessa base de comparação desde o primeiro trimestre de 2012, quando houve queda de 19,6% sobre os três últimos meses de 2011.

A queda na atividade agropecuária no terceiro trimestre puxou para baixo o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro no período. O mau desempenho foi influenciado por perdas nas lavouras de café, algodão, milho e cana-de-açúcar, mas também no segmento pecuário, especialmente de criação de bovinos, segundo os dados do PIB, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na comparação com o terceiro trimestre do ano passado, houve redução de 9,0%, sob impacto, sobretudo, da estiagem.

“A gente vê que várias lavouras importantes do Brasil estão todas com expectativa de queda no ano”, justificou Rebeca Palis, coordenadora de Contas nacionais do IBGE.

As consequências da seca reduziram os ganhos com a lavoura em 2021, com exceção da soja, que foi plantada antes, colhida e exportada antes do terceiro trimestre deste ano, lembrou Rebeca.  “Este ano, além de ter problemas climáticos adversos, a gente ainda está com problema de bienalidade do café”, disse Rebeca.

“A agropecuária ganhou bastante peso, está pesando quase 7% do PIB, exatamente porque foi favorecida em 2020. O peso é pequeno, mas uma queda de 8% no trimestre influencia (o resultado geral do PIB)”, completou.

Exportações

A queda na comparação interanual, de 9,0%, também foi a maior desde o primeiro trimestre de 2012. Naquele trimestre, houve um tombo de 11,2% sobre os três primeiros meses de 2011.

Pela ótica da demanda, o tombo de 9,8% nas exportações no terceiro trimestre ante o segundo trimestre foi o maior da série histórica do PIB, iniciada em 1996.

Segundo o Rebeca Palis, coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, isso se deveu a uma elevada base de comparação no segundo trimestre.

De abril a junho, as exportações haviam saltado 13,7% ante os três primeiros meses do ano. Foi a maior alta desde os 14,1% do terceiro trimestre de 2006 sobre o segundo trimestre daquele ano. Palis explicou que isso se deveu a um atraso nos embarques de soja, o que acabou concentrando as exportações do grão no segundo trimestre.

Ainda na ótica da demanda, mas na comparação interanual, a alta de 20,6% nas importações sobre o terceiro trimestre de 2020 é a maior desde o quarto trimestre de 2010, quando houve um salto de 24,5%.

Já o PIB de serviços registrou no terceiro trimestre uma sequência de cinco trimestres de alta sobre os períodos imediatamente anteriores, ao subir 1,1% sobre o segundo trimestre.

Fonte: Estadão Conteúdo