HomeEconomiaPecuária

Suinocultores pedem medidas emergências para conter crise

Suinocultores pedem medidas emergências para conter crise

Preços de fertilizantes sobem no País com crise entre Rússia e Ucrânia
FPA vai se reunir com armadores para debater crise dos contêineres
Comissão debate crise no setor e sugere medidas para amparar suinocultor

Lideranças da suinocultura se reuniram com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, para solicitar medidas emergenciais que possam minimizar os efeitos ocasionados pelos altos custos de produção e o baixo preço pago no quilo dos animais.

Além da ministra e os presidentes das Associações filiadas estaduais e frigoríficos membros do Sistema da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), participaram da reunião, na quarta-feira, 26/1, em Brasília, os secretários de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Guilherme Bastos Filho, e de Comércio e Relações Internacionais, Orlando Leite.

O presidente da ABCS, Marcelo Lopes, apresentou à ministra um ofício protocolado com algumas sugestões emergências, de curto prazo.

De acordo com os dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), no período de fevereiro/2020 a janeiro/2022, a soja subiu 105% e o milho 80%, mas o preço pago ao quilo da carcaça suína não se manteve na mesma intensidade, apenas 17%, e com pico máximo de aumento de 75% durante o mês de novembro de 2020.

Um dos nossos pleitos é a possibilidade de manter a isenção das alíquotas de contribuição incidentes na importação do milho (PIS/COFINS) até dezembro de 2022, pois a desoneração é um meio de dar folego aos produtores, tendo em vista a alta do custo de produção”.

O presidente da Frente Parlamentar Mista da Suinocultura, o  deputado federal Covatti Filho reforçou que a estiagem no Sul do país e no Mato Grosso do Sul intensificou ainda mais o cenário difícil que a suinocultura tem enfrentado.

Nos dados mais atuais, os suinocultores vêm trabalhando no prejuízo, com os custos de produção maior que o valor pago para produzir os animais”.

Lopes reforçou ainda medidas, como: a possibilidade de promover linhas de créditos para momentos de crise, por meio das instituições bancárias que operam crédito rural; a reativação da linha de crédito de custeio, direcionada para a Retenção de Matrizes Suínas (com a concessão de limite de crédito de 2,5 milhões de reais por beneficiário); e a prorrogação do prazo de pagamento dos custeios pecuários em um ano conforme previsto no Manual de Crédito Rural.

Tereza Cristina disse estar acompanhando a crise no setor e irá priorizar, com a equipe técnica do Mapa, as propostas citadas e também outras, com intuito de minimizar os impactos negativos que atingem o produtor.

Fonte: ABCS