HomeEcologia

Com uso de satélites, combate a incêndios prevê ‘autuação imediata’ de infratores

Com uso de satélites, combate a incêndios prevê ‘autuação imediata’ de infratoresCorpo de Bombeiros promete fiscalização rigorosa. Foto: Secom/MT

Nortão em chamas: Novo Mundo e Cláudia sofrem com fogo em reservas
Combate ao fogo vai contar com brigadistas indígenas na aldeia Urubu Branco
Bombeiros fiscalizam propriedades rurais onde há uso irregular do fogo

Por Rodrigo Malafaia

O Pantanal sofreu, de 2020 para cá, dois recordes históricos de incêndios. No entanto, antes disso, o bioma já entrava nas piores estatísticas do fogo no Brasil. Conforme aponta levantamento divulgado pelo Mapbiomas, de 1985 até 2020, a região perdeu 74% da superfície de água e foi a que mais sofreu com o fogo no País, tendo mais de 57% do seu território destruído.

As queimadas descontroladas deixaram uma dolorosa memória aos brasileiros com imagens de animais carbonizados e casos como o da onça Joujou, resgatada com suas patas queimadas. Visando minimizar tais danos, o Governo do Mato Grosso, com o Corpo de Bombeiros Militar (CBMMT), está planejando uma série de medidas para combater a temporada de incêndios, o que inclui uso de tecnologia para detectar alertas de desmate e ação de infratores. Confira.

Prevenção e Combate

Com o maior orçamento ambiental do Estado, a prevenção e combate aos crimes ambientais receberam o valor de R$ 31,3 milhões desde janeiro deste ano. Fazem parte destas ações a elaboração e implementação do Plano de Operações da Temporada de Incêndios (POTIF), de campanhas para conscientização das pessoas sobre o alastramento do fogo, confecção de abafadores e capacitação de brigadistas rurais.

As áreas de prioridade no plano de ações do governo são, respectivamente, as Unidades de Conservação (UC); as áreas de interesse público; as propriedades circunvizinhas a UCs e, por último, as demais propriedades privadas.

Investimentos no Corpo de Bombeiros

Por meio das suas 25 Unidades Operacionais (UBOP), sendo uma delas especializada em Emergências Ambientais (BEA), o Corpo de Bombeiros Mato-Grossense mobilizou um efetivo de 1.325 bombeiros, que contam com o apoio dos brigadistas para o combate ao fogo.

O Mato Grosso conta agora com “12 novos caminhões autotanque (já entregues em todas as Unidades Regionais) e um reforço especial à nova unidade do 3º Comando Regional do Corpo de Bombeiros Militar com quatro viaturas de resgate e um caminhão auto tanque, no município de Sinop, uma das cidades prioritárias no combate às queimadas,” segundo nota oficial do CBMMT.

Brigadistas e abafadores

No período, serão mobilizados 82 Instrumentos de Resposta Temporários (IRTs), coletivos compostos por Brigadas Temporárias, Bases Descentralizadas de Bombeiros, Militares e Equipes de Intervenção e Apoio Operacional, para reagir à Temporada de Incêndios, com um efetivo de 180 brigadistas temporários, além do pagamento de um efetivo de 1 mil militares responsáveis pelo combate e prevenção.

Houve, segundo a tenente-coronel Jusciery Marques, representante do Corpo de Bombeiros, a confecção e distribuição de 2 mil abafadores para comunidades tradicionais, facilitando a capilarização das reações às queimadas. 

“Os abafadores”, explica a tenente-coronel, “são feitos a partir de borrachas doadas e madeiras apreendidas, configurando-se como instrumentos sustentáveis”.

Notificação dos proprietários e monitoramento

Utilizado para averiguar regiões de altos índices de desmatamento, com possibilidade de alastramento do fogo e focos de calor, o monitoramento recebe um investimento de R$ 6,4 milhões, enfatizando o uso de imagens de satélite de alta resolução com alertas de desmate, sensoriamento remoto para exploração de madeira e notificação de proprietários por degradações relacionadas aos focos de calor, por meio da Operação Infravermelho.

Com a mobilização de equipes locais em todas as unidades com risco iminente, a tenente-coronel Jusciery explica que “o objetivo da operação é garantir que os bombeiros estarão preparados antes do fogo se espalhar”.

Direcionados a áreas com possibilidade incendiária, ou acionando os brigadistas locais, a reação antecipada pelo uso de satélites, drones e aeronaves, os Bombeiros pretendem impedir que as chamas se espalhem pela mata seca criando incêndios. 

“Os proprietários que seguirem desrespeitando as normas e notificações, podem ser autuados imediatamente”, alerta a representante do Corpo de Bombeiros.

Programa Carbono Neutro MT

Com o objetivo de manter o funcionamento do Comitê Estratégico para o Combate do Desmatamento Ilegal, a Exploração Florestal Ilegal e aos Incêndios Florestais (CEDIF), o Governo declara ter aportado o valor de R$ 170 mil para o Comitê do Fogo e para a implementação do Programa Carbono Neutro MT, que pretende “engajar a iniciativa privada nas ações de combate à destruição ilegal das florestas”, explica em nota oficial. Ambos, fogo e desmatamento, andam de mãos dadas na proporção de desastres inflamatórios na temporada, pois uma queima local para limpeza de mato pode se alastrar desproporcionalmente na seca.

Fonte: Corpo de Bombeiros Militar (CBMMT)

LEIA MAIS:

Uso de fogo está proibido em MT a partir de 1º de julho

Como o Manejo Integrado de Fogo funciona na prevenção de incêndios?

Você sabe qual é a diferença entre queimada e incêndio florestal?

MT decreta emergência ambiental a partir de maio para evitar queimadas