HomeEcologiaEconomia

Crise climática: governo prevê R$ 3 bi para seguro rural na safra 2024/25

Crise climática: governo prevê R$ 3 bi para seguro rural na safra 2024/25Na edição 2022/23 o Proagro recebeu R$ 10 bilhões. Foto: Agência Gov

Brasil negocia investimento chinês para recuperar pastagens degradadas
Plano Safra tem R$5,1 bi adicionais para agronegócio e agricultura familiar
Governo vai investir em sustentabilidade e agro pode lucrar. Saiba como

Por André Garcia

Frente às crescentes ameaças geradas pelo aquecimento global, o Conselho Monetário Nacional (CMN) mudou a fórmula do Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro) e vai deslocar parte dos recursos para o Seguro Rural, que deverá disponibilizar R$ 3 bilhões aos produtores no próximo Plano Safra (2024/25).

Pouco antes do anúncio, feito pela instituição no fim da tarde de segunda-feira, 8/4, o ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, havia tratado sobre a questão durante a abertura da 21ª Tecnoshow, em Rio Verde (GO).

“Estamos estudando com cautela junto com o Banco Central, mas percebemos que uma gestão mais eficiente deste instrumento nos permitiria uma economia de R$ 2 bilhões, que serão realocados no Programa de Subvenção ao Prêmio de Seguro Rural”, disse.

Para tanto, o Conselho modernizou o modelo de comprovação de aquisição de insumos, aproximando o Proagro das boas práticas adotadas no mercado do seguro rural. As medidas propostas permitirão redução de custos da ordem de R$ 935 milhões no segundo semestre de 2024 e de R$ 2 bilhões em 2025.

Além disso, por meio das resoluções nº 5.126, nº 5.127, nº 5.128e nº 5.125,o CMN reduziu o limite de enquadramento obrigatório, ajustaram as indenizações das operações cuja emergência tenha ocorrido no período de Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) com risco 30% e 40% e diminuíram o teto para a Garantia de Renda Mínima (GRM).

O Proagro

O Proagro funciona de forma semelhante ao de uma cobertura de seguro para pequenos produtores. Caso o produtor tenha problemas na condução de sua lavoura em decorrência de razões que estejam cobertas, é indenizado ou exonerado da obrigação de pagar parcelas do financiamento.

Na edição 2022/23  do Plano Safra, foram disponibilizados R$ 10 bilhões para o Proagro e R$ 1 bilhão para o seguro rural. Agora, as novas regras entrarão em vigor em 1º de julho de 2024, coincidindo com o início do ano agrícola 2024/2025.

Recuperações judiciais

Ainda considerando os prejuízos causados pelo clima, Fávaro também defendeu que é preciso coibir uma “onda de recuperações judiciais indiscriminada e predatória”. Ao reconhecer a legitimidade do instrumento, reforçou que deve haver “respeito com o crédito” e que a recuperação não deve incluir todos os compromissos que o produtor tem para saldar.

“Ato cooperativo não pode entrar em recuperação judicial. A Cooperativa nada mais é do que o associado pessoa física representado por pessoa jurídica. Por que a cooperativa entrar na recuperação judicial? Alienação fiduciária não pode entrar na recuperação judicial, nem a CPR”, pontuou.

Como já mostramos, os pedidos de recuperação judicial feitos por produtores rurais dispararam no Brasil em 2023, com alta de 300%. A porcentagem reflete as dificuldades financeiras enfrentadas por conta da alta de custos e de perdas nas lavouras afetadas pelos eventos climáticos extremos.

Mais crédito

Na segunda-feira, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou que, a partir do dia 11 de abril, ofertará mais R$ 1,4 bilhão para operações de crédito no âmbito dos Programas Agropecuários do Governo Federal (PAGF) para o Plano Safra 2023-2024.

Com a medida, o total de recursos ainda disponíveis nos diferentes PAGF a serem repassados pelo Banco é de R$ 4,6 bilhões, com prazo de utilização até junho de 2024. Segundo a instituição, já foram aprovadas mais de R$ 28 bilhões, em mais de 120 mil operações, para o Plano Safra 2023-2024, um crescimento de 23% em relação ao mesmo período da safra passada.

“São recursos importantes que poderão ser utilizados por produtores rurais, inclusive agricultores familiares, e cooperativas agropecuárias, para custeio e investimento em diversas finalidades”, explica o presidente do BNDES, Aloizio Mercadante.

LEIA MAIS:

Aquecimento global torna “seca agrícola” 3 vezes mais provável

Calor extremo pode justificar o não pagamentos de CRP, diz advogado

Socorro ao agro deve ser anunciado antes do fim da safra

Aumenta recuperação judicial de produtores afetados por quebras de safras

Eventos climáticos impulsionam pedidos de recuperação judicial

Fávaro defende realocar recursos do Proagro para seguro rural

Avanço da colheita de soja confirma efeitos da crise climática

Desembolso no Plano Safra 2023/24 alcança R$ 271 bi até janeiro

Produtores pedem ajuda ao governo para enfrentar crise na soja