HomeEcologia

Excesso de chuvas dificulta avanço da colheita de soja

Excesso de chuvas dificulta avanço da colheita de soja

Extremos climáticos estão mais frequentes em Mato Grosso, diz Climatempo
Frente fria que trouxe chuva e ventos fortes se mantém no sábado em MT
Primavera dá início ao plantio das principais culturas de verão

Desde janeiro, os índices elevados de chuva vêm atrapalhando a colheita da safra 2021/22 da soja, atrasando consequentemente o avanço da safrinha do milho em partes do Estado.

Com a taxa elevada de precipitação, os agricultores têm tido dificuldades para entrar com as máquinas nas lavouras. Segundo dados do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea) divulgados nesta sexta-feira, 25/02, a área total da colheita avançou para 78,15%, com um aumento de 10,40 pontos percentuais. 

Na semana anterior, a colheita havia alcançado 67,75% das áreas cultivadas, com uma alta semanal de 7,27 p.p. Nesse mesmo período, na safra 2020/21, a colheita da soja estava a 52,14% — 26,01 pontos percentuais abaixo do que temos nesta safra de agora. Já a média dos últimos cinco anos para esse período é mais próxima da porcentagem atual — 72,17%.

“Temos percebido que a chuva impactou bastante os trabalhos e já está trazendo alguns reflexos, como perda de peso e redução de produtividade”, disse Cleiton Gauer, superintendente do instituto, ao Globo Rural.

De acordo com o Imea, mesmo com os relatos de chuvas em grande parte das regiões em Mato Grosso, o aparecimento do sol durante o dia em algumas localidades favoreceu o avanço mais acelerado, em relação à semana anterior.

“Dentre as regiões, a centro-sul e sudeste exibiram os maiores avanços semanais, em função do tempo aberto durante o dia”, aponta o instituto. O acontecimento trouxe alegria aos produtores do sul mato-grossense, que apresentam ainda as menores taxas de área colhida do Estado. As porcentagens de avanço da colheita para cada região do Estado são de: 59,08% da área total cultivada no centro-sul, 87,83% no médio-norte, 72,30% no nordeste, 79,15% no noroeste, 81,42% no norte, 87,56% no oeste e 69,63% no sudeste.

“Com relação à produtividade média semanal, houve incremento de 0,42 sc/ha nesta semana, estimada em 59,95 sc/ha. No entanto, no médio-norte, nordeste e centro-sul do Estado, houve relatos de redução no rendimento médio semanal, sob influência de anomalias nas vagens, tombamento e alta umidade dos grãos nessas regiões do estado”, conclui o Imea.

Segundo o ‘Prognóstico Agroclimático para o período de fevereiro, março e abril de 2022’ do Instituto Nacional de Meteorologia, Inmet, para a região Centro-Oeste do Brasil está prevista uma precipitação variando entre normal a acima da climatologia em praticamente toda a área, exceto nas partes central e oeste do Mato Grosso do Sul, onde as chuvas previstas podem ser ligeiramente abaixo da média.