HomeEcologia

Hoje é Dia do Pantanal, Patrimônio da Humanidade

Hoje é Dia do Pantanal, Patrimônio da Humanidade

Conferência debate desenvolvimento sustentável do Bioma Pantanal
Sema reforça importância de trabalho conjunto na preservação do Pantanal
JBS investe R$ 26 milhões para previnir e combater incêndios no Pantanal

Patrimônio da Humanidade pela Unesco, hoje, 12 de novembro, é data para celebrar o Dia do Pantanal, o maior berço da biodiversidade brasileira. A despeito de tudo o que tem sofrido nos últimos tempos, ele resiste.

O Pantanal é uma das maiores extensões úmidas contínuas do planeta e está localizado no centro da América do Sul, na bacia hidrográfica do Alto Paraguai. Sua área é de 138.183 km², com 65% de seu território no Estado de Mato Grosso do Sul e 35% no Mato Grosso.
A região é uma planície aluvial afetada por rios que drenam a bacia do Alto Paraguai, onde se desenvolvem fauna e flora de rara beleza e abundância, e é influenciada por quatro outros grandes biomas: Amazônia, Cerrado, Chaco e Mata Atlântica.
Pelas suas características e importância, essa área foi reconhecida pela UNESCO no ano 2000 como Reserva da Biosfera, por ser uma das mais exuberantes e diversificadas reservas naturais da Terra.
O rio Paraguai e seus afluentes percorrem o Pantanal, formando extensas áreas inundadas que servem de abrigo para muitos peixes, como o pintado, o dourado, o pacu, e também de outros animais, como os jacarés, as capivaras, ariranhas e espécies diversas.
Muitos animais ameaçados de extinção em outras partes do Brasil ainda possuem populações vigorosas na região pantaneira, como o cervo-do-Pantanal, a capivara, o tuiuiú e o jacaré.
Devido à baixa declividade dessa planície no sentido norte-sul e leste-oeste, a água que cai nas cabeceiras do rio Paraguai chega a levar quatro meses ou mais para atravessar todo o Pantanal.
Os ecossistemas são caraterizados por cerrados e cerradões sem alagamento periódico, campos inundáveis e ambientes aquáticos, como lagoas de água doce ou salobra, rios, vazantes e corixos.
O clima é quente e úmido no verão, frio e seco no inverno. A maior parte dos solos do Pantanal é arenosa e suporta pastagens nativas, que servem de alimento para herbívoros da região e para o gado bovino, introduzido pelos colonizadores da área.
O Pantanal não é apenas um. Estudos efetuados pela Embrapa Pantanal identificam 11 pantanais, cada um com características próprias de solo, vegetação e clima: Cáceres, Poconé, Barão de Melgaço, Paraguai, Paiaguás, Nhecolândia, Abobral, Aquidauana, Miranda, Nabileque e Porto Murtinho.
A Embrapa Pantanal já identificou quase duas mil espécies de plantas, classificando-as de acordo com seu potencial, como forrageiras, apícolas, frutíferas e madeireiras. Encontram-se em estudos algumas plantas que apresentam princípios ativos com potencial para aplicação médica e outros usos.
Para minimizar os impactos ambientais e socioeconômicos de atividades praticadas pelo homem no bioma, principalmente nos planaltos adjacentes, e assegurar que o Pantanal seja mantido como uma região produtiva e conservada, ao mesmo tempo, é preciso haver um planejamento que garanta a sustentabilidade dos recursos naturais desse importante bioma. Para isso, a Embrapa Pantanal procura, por meio do trabalho que desenvolve, encontrar um meio termo entre a preservação e a produtividade.
Fonte: Embrapa