HomeEconomiaAgricultura

Empaer multiplica mudas de mandioca e garante ramas para 2022

Empaer multiplica mudas de mandioca e garante ramas para 2022

Extremos climáticos estão mais frequentes em Mato Grosso, diz Climatempo
Plano Nacional de Fertilizantes propõe aumentar produção interna até 2050
BNDES suspende várias linhas de crédito do Plano Safra 2022/23

A equipe do Campo Experimental de Acorizal da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), preocupada com os efeitos das secas prolongadas e a falta de ramas de mandioca para plantio, vem desenvolvendo o método da multiplicação de mudas da mandioca em copinho de plástico. A iniciativa é devido a grande importância social que a cultura da mandioca proporciona, por ser uma alternativa para pequenos produtores na geração de renda e segurança alimentar.

Em pleno trabalho, até o final da tarde de quinta-feira, 25/11, os técnicos já tinham preparado 4,5 mil unidades que serão plantadas no Campo Experimental e garantir ramas para 2022. Elas serão  disponibilizadas aos agricultores interessados em cultivar a mandioca e também aos técnicos da empresa que quiserem instalar a  Unidade de Referência Tecnológica (URT), para mostrar aos produtores os materiais que estão sendo analisados e avaliar os mesmos em cada região.

A pesquisadora da Empaer Dolorice Moreti comenta que nos dois últimos anos, as secas castigaram muito a cultura da mandioca. Ela destaca que este método permite a reprodução do material em maior escala e de maneira economicamente viável.

“A finalidade é aumentar a quantidade de mudas geradas a partir de plantas matrizes, com foco principalmente no pequeno agricultor, contribuindo na estruturação da cadeia da mandiocultura, de forma a minimizar, futuramente, os efeitos das secas prolongadas e da baixa produtividade”, afirma.

A multiplicação das mudas está sendo realizada com diversos materiais genéticos de mandioca provenientes de várias regiões do estado de Mato Grosso, da Embrapa e do Instituto Agrônomo de Campinas (IAC). A técnica, segundo Dolorice, é simples e permite ao produtor aproveitamento das ramas, melhor brotação, redução de falhas na lavoura e também até 30 dias para o preparo do solo e aquisições dos insumos necessários, enquanto as mudas ficam aptas para ir a campo.

Os trabalhos realizados são para duas finalidades de uso da mandioca: mesa e indústria.  Para a mandioca de mesa, precisa-se ter produtividade, precocidade e cozimento, na comercialização. Para a mandioca destinada à indústria, é necessário que ela seja produtiva e apresente alto teor de amido. Esse trabalho realizado pela Empaer visa possibilitar ao produtor rural a ter acesso aos materiais mais promissores para cada finalidade de uso e assim, ter maior rentabilidade na atividade.

Fonte: Governo de Mato Grosso