HomeEconomiaAgricultura

Mais R$ 2 bilhões para linha em dólar voltada a investimentos

Mais R$ 2 bilhões para linha em dólar voltada a investimentos

Agro terá R$ 6 bilhões em linhas de crédito do BNDES
Projeto busca financiamento para recuperação de pastagens
Fundo Clima recebe R$ 10,4 bilhões para projetos sustentáveis

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) informou que a linha BNDES Crédito Rural em dólar terá mais R$ 2 bilhões suplementares. No dia 17/4, o ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, e o presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, anunciaram a criação da modalidade, com a oferta inicial de R$ 2 bilhões para financiar investimentos de longo prazo – aquisição de máquinas agrícolas, sistemas de armazenagem e outros itens.

O sistema para protocolar novos pedidos de crédito da linha será aberto no dia 16/5, de acordo com comunicado do banco. Na nota, o BNDES diz que identificou demanda superior aos R$ 2 bilhões inicialmente ofertados, em sondagens feitas no primeiro dia da Agrishow com agentes financeiros presentes na feira, realizada na semana passada em Ribeirão Preto (SP).

“Em apresentações iniciais da linha aos clientes finais, os parceiros identificaram uma procura significativa pelos recursos. Em razão desse cenário, o BNDES decidiu dobrar o valor inicialmente alocado”, diz o banco na nota.

O ministro Mercadante comentou no comunicado.

“Queremos afastar qualquer possibilidade de esgotamento de recursos na linha. Ela é um dos instrumentos de que dispomos para fomentar uma agricultura cada vez mais inovadora, digital, de precisão, que reduza custos e riscos”.

Para contratar recursos da linha em dólar do BNDES, o produtor rural deve possuir receitas em dólar ou atreladas à moeda americana, a fim de minimizar riscos cambiais. O custo final partirá de aproximadamente 7,59% ao ano mais a variação cambial. Os prazos totais de amortização vão de 25 a 120 meses, com carência de até 24 meses.

Além da nova linha em dólar com taxa fixa, o BNDES Crédito Rural também concede crédito com taxas atreladas à Selic, TLP (Taxa de longo prazo do BNDES) e taxa fixa do BNDES, lembrou o banco.

Fonte: Estadão Conteúdo