HomeEconomiaMundo

O que a guerra na Ucrânia tem a ver com os preços do nosso dia a dia

O que a guerra na Ucrânia tem a ver com os preços do nosso dia a dia

Exportações do agro atingem valor recorde de US$ 8,84 bilhões para outubro
Conflito no leste europeu pode agravar inflação no Brasil
População ocupada no agronegócio atinge maior contingente desde 2016

Depois de quatro meses de ameaças, a Rússia atacou a Ucrânia, nesta quinta-feira, 24/1, dando início a um conflito com reflexos na Europa e também no Brasil. Entenda como isso afeta a economia brasileira.

Petróleo

O preço de barril de petróleo superou nesta quinta, 24/2, os US$ 100 pela primeira vez em mais de sete anos. Isso porque a Rússia é um dos grandes produtores de petróleo, e um conflito militar naquele país afeta o mercado do produto. Isso significa gasolina e diesel mais caros, com impacto em toda a cadeia produtiva do Brasil.

Alimentos

Os dois países são importantes produtores de cereais e grãos, como milho e trigo. Ucrânia e Rússia exportam 30% do trigo comprado pelo resto do planeta. A Ucrânia vende 17% do milho do mercado mundial. A alta nos preços  dessas commodities já se faz notar.

Os russos são os principais fornecedores de fertilizantes e insumos para o agronegócio brasileiro. Uma crise neste setor também pode causar impacto no preço de grãos produzidos no Brasil.

Isso sem contar com a exportação brasileira, já que ambos os países são compradores de produtos agrícolas nacionais. A Ucrânia compra do Brasil amendoim, carne bovina açúcar, café solúvel, soja, tabaco, tripas bovinas, pimenta e carne de frango. Por sua vez, a Rússia importa do Brasil soja, carne de frango, café, amendoim, açúcar, carne bovina, carne suína e até carne de cavalo. Só de soja, foram 768,2 mil toneladas exportadas em 2021, ou US$ 343,2 milhões.

Dólar e bolsa de valores

A moeda russa, o rublo, caiu a quase 8% , obrigando uma intervenção do Banco Central para conter a queda.

Até os mercados de criptoativos foram atingidos, fazendo o bitcoin chegar abaixo dos US$ 35.000 pela primeira vez em um mês.

Inflação

Com a alta do preço do petróleo, do gás e dos alimentos, a ascendente inflação brasileira  tende a subir.