HomeEconomiaAgricultura

Guerra e clima ameaçam oferta global de alimento,, dizem FAO e OECD

Guerra e clima ameaçam oferta global de alimento,, dizem FAO e OECDMais 19 milhões de pessoas podem ter desnutrição crônica em 2023. Foto: Agência Brasil

Índice de Preços de Alimentos da FAO recua pelo 4º mês consecutivo
Índice de Preços de Alimentos cai pelo 2º mês seguido, diz FAO
BRF reverte lucro e tem prejuízo líquido de R$ 271 milhões no 3º trimestre

O setor agroalimentar global enfrenta desafios fundamentais na próxima década, particularmente a necessidade de alimentar uma população cada vez maior de forma sustentável, os impactos da crise climática e as consequências econômicas e perturbações para abastecimento alimentar ligado à guerra na Ucrânia.

As conclusões fazem parte do relatório divulgado na quarta-feira, 29/6, pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

O Panorama Agrícola OCDE-FAO 2022-2031 fornece uma avaliação de curto prazo de como a guerra pode afetar os mercados agrícolas globais e a segurança alimentar. Ele destaca riscos para os principais mercados de commodities: os preços de equilíbrio do trigo podem ficar 19% acima dos níveis pré-conflito se a Ucrânia perder totalmente sua capacidade de exportar e 34% mais altos se, além disso, as exportações russas forem 50% dos valores normais.

Um cenário que pode continuar a elevar o preços dos produtos agrícolas em 2022/23 e 2023/24.

“Esses preços crescentes de alimentos, fertilizantes, rações e combustíveis, bem como o aperto das condições financeiras, estão espalhando o sofrimento humano em todo o mundo”, disse o diretor-geral da FAO, QU Dongyu.  “Estima-se que mais 19 milhões de pessoas podem enfrentar desnutrição crônica globalmente em 2023, se a redução da produção global de alimentos e da oferta de alimentos dos principais países exportadores, incluindo Rússia e Ucrânia, resultar em menor disponibilidade de alimentos em todo o mundo.”

Fonte: OECD