HomeEconomiaBalanço

Volume de frete rodoviário do agronegócio cresce 37,4% no 3º trimestre em relação a 2020

Volume de frete rodoviário do agronegócio cresce 37,4% no 3º trimestre em relação a 2020

Aliança Agroeconômica divulga análise trimestral do Plano Safra 21/22
Agronegócio brasileiro começa 2022 com superávit de US$ 7,7 bilhões
População ocupada no agro no 1º tri atinge nível mais alto desde 2016

O volume de fretes do agronegócio aumentou 37,4% no terceiro trimestre, em comparação com os mesmos meses do ano passado. O levantamento é da FreteBras, maior plataforma online de transporte de cargas da América do Sul, que acaba de lançar a 5ª edição do “Relatório FreteBras – O Transporte Rodoviário de Cargas no Brasil”, com base na análise de 2,5 milhões de fretes.

Segundo o estudo, o agronegócio representou 39,7% das cargas registradas na plataforma da FreteBras no terceiro trimestre de 2021 e cerca de R$ 7,8 bilhões foram distribuídos em fretes para atender o setor. Os Estados que concentraram a maior parte dos fretes do segmento foram São Paulo (15%), Rio Grande do Sul (13,6%), Paraná (12,8%) e Minas Gerais (12,4%). Os produtos mais transportados foram fertilizantes (36,7%), milho (11,6%) e soja (6,7%). Na comparação com o segundo trimestre deste ano, o aumento no volume de fretes foi de 46,7%.

O diretor de Operações da FreteBras, Bruno Hacad, disse em nota que “o volume de fretes acompanhou o crescimento do agronegócio que, segundo estimativas da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), terá acréscimo na safra 2021/22 em comparação com a anterior. A previsão é de aumento de 3,6% na área cultivada e 14,2% na produção de grãos no ano que vem, em comparação com 2021. Para atender essa demanda por crescimento, o setor já começou a importar milhões de toneladas de fertilizantes e nós vemos o impacto desta movimentação na nossa plataforma”.

Portos

O porto de Paranaguá (PR) foi um dos principais pontos de origem para importação de adubos e fertilizantes. O estudo revela que o volume dos fretes destes produtos, originados em Paranaguá, aumentou 41,6% em comparação com o mesmo período do ano passado. Em contrapartida, a soja registrou uma queda de 12,3% nas exportações naquele centro logístico e o impacto foi sentido também no volume de fretes da oleaginosa com destino a Paranaguá. A redução foi de 24% no volume de fretes, em comparação com o terceiro trimestre de 2020, na plataforma da FreteBras.

No porto de Rio Grande (RS), os produtos mais importados também foram adubos e fertilizantes, e o reflexo foi registrado também no volume de fretes deste tipo de produto, que teve aumento de 88,9% no período. A exportação de soja pelo porto gaúcho registrou aumento de 85% em comparação com o terceiro trimestre de 2020. Na FreteBras, os fretes de soja com destino ao porto de Rio Grande tiveram aumento expressivo de 139% em comparação com o mesmo período do ano passado.

Já no porto de Santos (SP), os fretes de adubos e fertilizantes, segundo produto mais importado no local, aumentaram 165,2% no terceiro trimestre de 2021, em comparação com o mesmo período do ano passado, justamente para atender a expectativa de aumento na produção agrícola da safra 2021/22. Os fretes de soja e açúcar com destino à baixada santista, para exportação, também tiveram destaque, com aumento de 55,7% e 94,5%, respectivamente, no período.

No geral, o volume de fretes rodoviários no Brasil aumentou 35% entre julho e setembro deste ano, quando comparado com o mesmo período do ano passado. De acordo com a Fretebras, o crescimento foi impulsionado pela confiança das transportadoras na digitalização dos fretes, que tem ajudado as empresas a reduzirem os custos do transporte em até 23%, investindo em novos mercados e conseguindo mais agilidade nos processos.

Fonte: Estadão Conteúdo