HomeConvida

Artigo: Assumindo o protagonismo feminino nos diferentes papéis no Agro

Artigo: Assumindo o protagonismo feminino nos diferentes papéis no Agro

Artigo: Solo: de Presente Ancestral a um Futuro Promissor
Artigo: A Maior Tendência nas Feiras do Agro em 2022
Artigo: Cinco dicas para iniciar o processo de profissionalização da sua propriedade rural

Gigante 163 convida diversos especialistas, produtores e influenciadores para colaborar com conteúdos que interessam os nossos leitores – profissionais do agronegócio. Para fechar o mês da mulher, queremos reforçar o protagonismo da mulher no campo e a carga mental que pesa mais sobre a mulher brasileira – sendo do agro ou não! Para passar este recado e nos passar algumas dicas de bem estar, chamamos Adriane Steinmetz Nelli, produtora e uma das fundadoras da Rede UMAS, que se descreve assim: “Ajudo pessoas a tornarem sua vida SOLO FÉRTIL!” 

Encontre outras matérias de convidados aqui, e aproveite o artigo da Adriane abaixo!

Profissional, mãe, filha, esposa, amiga… mulher multitarefas, são muitos os papéis que nós ocupamos e, no agro, uma atividade que envolve tantas adversidades, conciliar todos esses papéis se torna ainda mais desafiador.

É por esse motivo que vemos tantas mulheres hoje sofrendo com ansiedade, estresse, depressão, burnout. Quando não chegam ao ponto de desenvolver algum desses problemas emocionais, são envolvidas por algum outro sentimento tóxico, como a culpa, insegurança, comparação, cobrança excessiva, medo, autossabotagem (a síndrome da impostora), entre outros.

Mas por trás de grande parte desses desarranjos emocionais se encontra o fato de que elas muitas vezes acabam deixando de lado, anulando ou até mesmo esquecendo o principal papel que devem dar atenção: o papel de serem elas mesmas, de viverem a sua essência, de dedicarem tempo a elas mesmas.

Mas o que de fato significa isso? É ter clareza do seu valor, de que em primeiro lugar existe o seu cuidado, aquele velho ditado que diz: “coloque primeiro a máscara em você e somente depois ajude as pessoas a sua volta.” Parece clichê, mas não é.

Me responda com sinceridade, quanto tempo do seu dia você dedica para fazer algo por você mesma, para ser você, para o seu bem-estar? O que você tem feito por você? A consciência é o primeiro e mais importante passo para  a mudança.

“Libertei mil escravos. Poderia ter libertado outros mil se soubesse que eles eram escravos.” (Abolicionista afro-americana Harriot Tubman)

E eu digo isso por experiência própria. Formada em Jornalismo, larguei minha carreira do dia para a noite após o falecimento do meu pai e comecei a atuar na agricultura ao lado da minha mãe e irmã.

Uma sucessão não planejada, cheias de desafios e que fez com que por muito tempo eu colocasse somente o meu profissional em primeiro lugar. Funcionou? Sim, mas junto ao sucesso veio o preço de uma saúde abalada, ansiedade, sinal vermelho e de alerta 24h, produtividade máxima, metas e mais metas, além do que nosso corpo é capaz de suportar, estafa, dores musculares.

Na minha incessante busca por conhecimento, durante minha pós de Neurociência  e comportamento, descobri que a origem e a cura desse desequilíbrio estava no meu cérebro e ao alcance das minhas mãos.

E vou compartilhar com você 3  dicas de técnicas que me ajudaram a retomar a minha saúde e bem-estar:

  1. Menos metas e mais prioridade: mas importante do que uma lista de coisas a fazer é saber aquilo que você não deve fazer, o que deixar para trás, dizer não, abrir mão de coisas que aparentemente parecem boas, mas que precisam ser deixadas de lado, pois minam a sua energia e saúde emocional;
  2. Selecione um tempo para você: o que você vai fazer somente por você, sem pensar na família, trabalho, seu hobby? Pode ser dançar, andar a cavalo, jogar tênis, fazer aula de pintura, a massagem no meio da semana, aquele momento que você fará algo para se conectar com a sua essência;
  3. Meditação e mindfulness: pesquisas na área da neurociência mostram que os efeitos dessas práticas no cérebro são semelhantes ao de medicamentos, porém de graça e ao alcance das suas mãos. Experimente dedicar 10 a 15 minutos das suas manhãs ou noites para essas práticas. Você pode contar com aplicativos de meditação guiada para te ajudar, como o Meditopia. Eu venci a insônia e as dores musculares causadas pela ansiedade com auxílio dessa prática.

Por trás dessas 3 dicas está o essencial e que quero aqui chamar a sua atenção: dedicar tempo a você mesma, voltar o olhar ao seu interior, amor próprio, pois quem não dedica tempo para cuidar de si mesma não se ama. Se conecte com a sua essência, tenha clareza do quão valorosa e merecedora de felicidade você é, saiba priorizar o que é verdadeiramente importante em sua vida e aproveite cada segundo da melhor maneira, com aquilo que te faz bem e feliz.