HomeConvida

Artigo: A gestão no agro como tendência de profissionalização

Artigo: A gestão no agro como tendência de profissionalização

Artigo: Nova safra de algodão caminha para o sucesso apesar dos contratempos
Artigo: Como se tornar um operador de máquinas agrícolas
Artigo: As Portas da Sucessão Familiar

Gigante 163 convidou diversos especialistas, produtores e influenciadores para colaborar com conteúdos que interessam os nossos leitores – profissionais do agronegócio. Aqui somos proponentes da profissionalização do agro – para um agro mais responsável, com o produtor, suas equipes, o meio ambiente e o consumidor final.  Por isso achamos incrível quando a Alessandra Decicino nos propos o assunto de gestão para a profissionalização. Essa “checklist” abaixo é para você imprimir e usar como referência sempre! Alessandra é engenheira agrônoma pela UFG, e especialista em gestão no agronegócio pela UFLA – quer uma gestora mais competente que essa? 

Encontre outras matérias de convidados aqui, e aproveite o artigo da Alessandra abaixo e bora profissionalizar a sua propriedade! 

A gestão e profissionalização de negócios no agro são uma das principais tendências e adesões no cenário do agronegócio em 2022, dentro e fora da porteira. Na sequência de duas safras positivas nos preços de commodities, o que favorece o mercado com indicadores, atraindo para novas altas os valores de mercado, os dígitos ficam cada vez mais robustos, porém os resultados do negócio na última linha são o principal direcionador nos resultados da gestão.

E para ajudar os agricultores e profissionais que atuam no setor na produção, cadeia do agronegócio, investidores e público em geral, o site O Gigante 163 me convidou para abordar como funciona as decisões dentro da porteira e que impactam na gestão para suportar o crescimento robusto do mercado.

Começo perguntando: quantas decisões um produtor rural precisa definir durante uma safra agrícola? E durante duas: safra e safrinha? E em três: safra, safrinha e terceira safra…?

São dezenas e decisivas decisões! Sendo todas fundamentais para o negócio acontecer.

Nesse momento, onde o campo está diante de importantes resultados na safra de grãos, porém com impacto climático influenciando a redução na projeção de safra em nível Brasil, os novos planejamentos já estão acelerados, e nesse momento os produtores tomam decisões e definições que norteiam a próxima safra agrícola 22/23 nos cultivos de cerais, ciclos perenes e criações pecuárias.

Para aumentar rentabilidade é necessário acompanhar bem todos os processos técnicos. Eu trouxe uma lista dos que são fundamentais para os processos de plantio, fertilidade, manejo, planejamento de atividades, e recomendamos SEMPRE o acompanhamento do engenheiro agrônomo, que é o profissional capacitado para este planejamento e dimensionamento:

1. Primeiramente, a decisão de qual cultura agrícola irá plantar, quantidade área/hectares/alqueires, formas de plantio, época e planejamento por áreas/talhões/estufas/viveiros/propriedades.

2. A escolha das sementes e cultivares/materiais conforme ciclo, produtividade, desempenho, resistência, áreas de refúgio, stands para cálculo de quantidade e tratos culturais.

3. A correta definição dos fertilizantes de plantio, conforme análise de solos e recomendação; se a adubação será a lanço, sulco, pontos por nutrientes, se antecipado ou junto à semeadura.

4. Definição das necessidades de corretivos de solos, conforme análise de solos e recomendação técnica.

5. Manejo de herbicidas, conforme identificação de plantas daninhas presentes e infestantes nas áreas.

6. Escolha de tratamento de sementes, conforme pragas e doenças de incidência na propriedade/região.

7. Planejamento previsto de manejo de inseticidas, conforme pragas incidentes na cultura e recomendação técnica.

8. Manejo de fungicidas, conforme ocorrência e pressão de doenças presentes nas áreas.

9. Regulagem de máquinas agrícolas: plantadeiras e semeadeiras, pulverizadores, colhedoras, implementos agrícolas.

10. Época prevista de plantio e clima previsto (sim, se for sequeiro, depende do regime de chuvas).

11. Planejamento previsto de janelas de aplicações para dimensionamento de equipamentos e mãos de obra.

12. Equipes, contratações e capacitações de colaboradores.

13. Manutenção prévia de equipamentos, deixando as máquinas prontas para a utilização.

14. Fontes de recursos a ser utilizado no negócio: financiamentos, recursos próprios, custeios.

15. Planejamento de vendas da produção: lotes de vendas, clientes, preços (variação conforme mercado e bolsas) e armazenagem.

16. Acompanhamento de mercado conforme produtos produzidos na propriedade rural.

17. Construção e acompanhamento de centros de custos, fluxo de caixa, orçamentos, investimentos, relação patrimonial, metas e objetivos de previsão de safra.

Esses pontos dependem de informações precisas e confiáveis, e muitas delas o site Gigante 163 fornece. São informações fundamentais para a produção agropecuária, que fazem parte do planejamento para uma gestão eficiente. Quanto mais assertivo o planejamento, mais profissionalizado o negócio da empresa rural, mais rentabilidade e desenvolvimento no agronegócio.