HomeEcologia

70% dos brasileiros associam tragédia a mudanças climáticas

70% dos brasileiros associam tragédia a mudanças climáticasEnchentes no Rio Grande do Sul foram tema de pesquisa. Foto: Ricardo Stuckert/ PR

Salvação da lavoura, morcegos ainda resistem em áreas de pasto no Pantanal
Mapa pede a Fazenda R$ 18,5 bi para Plano Safra 2023/2024
Abril marcou crescimento expressivo da agroindústria no Brasil

A esmagadora maioria dos brasileiros concorda que as chuvas históricas que atingiram o estado do Rio Grande do Sul na última semana estão relacionadas, em maior ou menor grau, com as mudanças climáticas. Essa é a principal conclusão da pesquisa do instituto Quaest divulgada na noite de quarta-feira, 8/5, que entrevistou 2.045 pessoas em 120 municípios entre os dias 2 e 6 de maio.

De acordo com a pesquisa, nove em cada dez brasileiros (90%) enxergam alguma relação entre as enchentes no Sul e a crise climática. Para a maioria dos entrevistados (64%), essa relação é direta; 30% disseram que ela é parcial, e 5% afirmaram que a tragédia é “um pouco” relacionada às mudanças do clima. Apenas 1% dos entrevistados disse não enxergar qualquer relação entre o desastre e o clima global.

A pesquisa também perguntou como os brasileiros estão sendo afetados pela intensificação de eventos climáticos extremos em suas cidades. Entre os entrevistados, 78% afirmaram que experimentaram algum evento de calor extremo nos últimos anos; 44% disseram que sofreram com enchentes e inundações; e 36% afirmaram que enfrentaram problemas como deslizamentos de terra e encostas. Para 96% dos entrevistados, os eventos extremos aumentaram de intensidade nos últimos anos.

A poluição industrial e o desmatamento foram identificados pelos entrevistados como os principais fatores por trás da crise climática e dos eventos extremos, com 29% cada. A ocupação desordenada nas cidades (22%) e o uso de combustíveis fósseis (20%) também foram assinalados como as principais causas desses problemas.

Entre as principais preocupações dos brasileiros em matéria de eventos climáticos, a pesquisa identificou um temor particular por enchentes e inundações, vistas por 21% como o maior risco de desastre natural em suas cidades. Ondas de calor (16%), insegurança hídrica (15%), desmatamento (15%) e poluição da água (10%) e do ar (9%) também preocupam os brasileiros.

Outro item analisado pela pesquisa foi a responsabilidade dos entes federativos com relação ao desastre no RS. Para 68% dos entrevistados, a maior responsabilidade está com o governo do estado, enquanto 20% disseram que a responsabilidade estadual é menor e outros 12%, nenhuma. As prefeituras também foram apontadas com grande responsabilidade por 64% dos entrevistados. Já o governo federal foi identificado como o maior responsável por 59%.

“As mudanças climáticas são temas de debates. A pesquisa mostra um cenário um pouco mais esperançoso para que o governo encontre um espaço de unidade nacional em torno deste tema que parece ser um tema que veio para ficar”, disse Felipe Nunes, diretor da Quaest, ao g1.

Os resultados da pesquisa Quaest foram abordados por diversos veículos, com matérias na CartaCapitalEstadãoExameInfoMoneyMetrópolesSBT e UOL.