HomeEcologia

Bunge define meta de reduzir emissões de gases em 25% até 2030

Bunge define meta de reduzir emissões de gases em 25% até 2030

Bunge anuncia intenção de adquirir participação minoritária na Pantanal Agrícola
Empresas de alimentos da Espanha usam soja de desmatamento, diz estudo
França vincula Bunge e Cargill a cadeias produtivas de soja com risco de desmatamento
 A Bunge, líder global em agronegócio, alimentos e ingredientes, anunciou nesta quinta-feira, 18/11, as suas metas para redução das emissões de gases de efeito estufa em  suas operações e em toda a sua cadeia de suprimentos. O anúncio vem após uma declaração conjunta da Bunge e de outros líderes do agronegócio na Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP26) para acelerar a ação da indústria no combate às mudanças climáticas.
“O anúncio de hoje ressalta nossa liderança contínua no fornecimento de soluções sustentáveis e de baixo carbono para a produção de alimentos, ingredientes e combustíveis para consumidores em todo o mundo. Isso não apenas reforça nosso foco em fazer um progresso real em direção à ação pelo clima em nossas operações e em nossas cadeias de valor, mas também permite oportunidades de crescimento em novos mercados para nossa empresa”, disse Greg Heckman, CEO da Bunge.

Segundo a empresa, a Bunge fará melhorias significativas em suas operações globais, promoverá a descarbonização, por meio de práticas agrícolas regenerativas, e aprimorará o transporte e a logística para atingir essas metas. A expectativa é que uma parte substancial da redução de emissões dentro de suas cadeias de suprimentos seja impulsionada pelo compromisso da Bunge de alcançar cadeias de suprimentos livres de desmatamento até 2025 – o prazo mais curto do setor.

As novas metas de emissões de carbono baseadas na ciência incluem: uma redução absoluta das emissões de gases de efeito estufa do Escopo 1 e 2 de 25% até 2030 em comparação a 2020;  e uma redução absoluta das emissões de gases de efeito estufa do Escopo 3 de 12% até 2030, em comparação a 2020.

“Nossas novas metas baseadas na ciência, que são apoiadas por nosso Conselho de Administração, demonstram nosso compromisso em fornecer produtos de baixo carbono e sem desmatamento para nossos clientes, apoiando o desenvolvimento de combustíveis renováveis de última geração e aprofundando nossa abordagem em relação à sustentabilidade em nossas operações e em nossas cadeias de valor”, disse Rob Coviello, Chief Sustainability Officer and Government Affairs.

As novas metas climáticas foram validadas pela iniciativa Science Based Targets Initiative, líder global em ajudar as empresas na transição para uma economia de baixo carbono por meio de compromissos tangíveis e metas ambiciosas de redução de emissões.

Fonte: Bunge