HomeEcologiaCOP-26

Mato Grosso apresenta plano de neutralização de carbono com meta antecipada

Mato Grosso apresenta plano de neutralização de carbono com meta antecipada

Empresas e instituições podem formalizar apoio ao Programa Carbono Neutro MT
Mato Grosso aguarda assinatura de acordo de 15 milhões de euros com Alemanha, anuncia secretária
MT tem potencial para captar US$ 500 milhões ao ano com venda de créditos de carbono

Para alcançar a meta de neutralizar as emissões de carbono até 2035 em Mato Grosso, o governador Mauro Mendes assinou na segunda-feira, 25/10, o Decreto 1.160/2021, que institui o programa Carbono Neutro MT. O objetivo, nessa véspera de realização da COP-26, na Escócia, é fortalecer ações que contribuem para o desenvolvimento sustentável, gerando o equilíbrio entre as emissões e remoções de gases do efeito estufa.

A COP-26 é um dos maiores eventos do clima realizado no mundo pela ONU. Entre 31 de outubro e 12 de novembro, vai reunir chefes de Estado das principais economias globais com metas de desmatamento contra o aquecimento global. Por isso, vários governos, estaduais e federal, têm engrossado mensagens a favor do meio ambiente na tentativa de fazer bonito na conferência.

O que muitas autoridades estaduais querem é fisgar investimentos que porventura sejam anunciados por outros países no evento para combater as mudanças climáticas no Brasil. Nesta terça, 26/10, embarcaram para a Escócia o governador Mauro Mendes e o presidente da Assembleia Legislativa do Estado (ALMT), Max Russi (PSB). Também hoje está previsto para ser levado a votação na ALMT um projeto de lei estadual que prevê que as reservas florestais localizadas em propriedades rurais, ou seja, as faixas de vegetação nativa que toda propriedade deve manter de pé, sejam abertas para exploração mineral.

Nessa toada confusa, o Estado aderiu à campanha “Race to Zero” (Corrida para o Zero), das Nações Unidas, e se antecipa à meta da campanha mundial, que propõe neutralizar as emissões de gases de efeito estufa até 2050. A meta intermediária do programa é alcançar até 2030 a redução de 80% das emissões.

“É possível que Mato Grosso alcance a meta não por aquilo que nós vamos fazer, mas pelo que já estamos fazendo. Essa é a grande diferença. Não vamos começar agora a estruturar ações para a descarbonização da economia. Já existem ações que apresentamos, uma estratégia com 12 eixos, que já são trabalhados dentro de Mato Grosso”, conta o governador Mauro Mendes sobre a política ambiental do Estado.

O governador destaca ainda que um dos diferenciais para que Mato Grosso alcance a meta é termos 62% do território preservado, o setor produtivo estar comprometido com as causas ambientais, o empenho e investimentos no combate ao desmatamento ilegal e incêndios florestais, e ainda, o trabalho da estratégia Produzir, Conservar e Incluir (PCI), que fomenta o desenvolvimento social e econômico através do uso sustentável da terra.

O procurador da República do Ministério Público Federal, Erich Raphael Masson, parabenizou o governo pela meta voluntária e afirmou que a criação do selo Carbono Neutro MT atende à necessidade das empresas que necessitam de certificação.

“Esse tipo de programa com o selo verde é muito importante para garantir às empresas que executam de fato alguma atividade para zerar a emissão de carbono, quem está correto, e a própria cadeia poder selecionar os melhores produtores. A cadeia vai ter a informação de quem são os produtores que respeitam e os que não respeitam o meio ambiente”, avaliou.

Fonte: Governo do Mato Grosso

LEIA TAMBÉM: Cerco ‘se fecha’ contra fornecedor de carne ilegal, diz gerente da PCI