HomeEconomia

Aumento de fretes do agronegócio foi de 46,9% em 2021, segundo FreteBras

Aumento de fretes do agronegócio foi de 46,9% em 2021, segundo FreteBras

Planilha auxilia no planejamento de plantio de árvores no sistema ILPF
Valor Bruto da Produção Agropecuária fecha 2021 em R$ 1,113 trilhão
Estado aplica R$ 44,9 milhões em multas ambientais durante Operação Amazônia no Araguaia

Por Vinicius Marques

Os fretes do agro registrados pela FreteBras aumentaram 46,9% em 2021, quando comparados ao ano anterior. O valor significa um volume de R$ 23 bilhões distribuídos em afretamentos e confirma o crescimento previsto pela Conab para a safra 2021/22 — de 3,6% na área cultivada e 14,2% na produção de grãos. Os índices sugerem ainda maior digitalização do setor no que diz respeito ao transporte de commodities. 

Os dados foram divulgados na 6ª edição do ‘Relatório FreteBras – O Transporte Rodoviário de Cargas’, produzido pela FreteBras, plataforma digital de registro de fretes, com cobertura de 95% do território nacional. A análise foi feita em cima dos 8 milhões de fretes publicados através da empresa de janeiro a dezembro do último ano.

“Os fretes do agro representaram 36,6% dos fretes registrados em nossa plataforma em 2021”, informa o relatório.

O volume de fretes na região Centro-Oeste subiu cerca de 37,1% no período analisado. Já Mato Grosso apresentou uma variação de 64%, sendo o oitavo estado com maior representatividade das estatísticas — 4,5%. Os estados mais significativos para o desempenho do segmento foram São Paulo (15%), Rio Grande do Sul (14,7%), Paraná (13,5%) e Minas Gerais (10,6%). Já em relação aos produtos mais transportados pelo agronegócio, se encontram os fertilizantes (31,5%), milho (10,9%) e soja (9,2%).

Oferta e demanda de fertilizantes

De 2020 a 2021, o número de fretes de fertilizantes subiu 79%. O aumento pode ser relacionado à tentativa do país em reduzir a dependência dos insumos importados. A cadeia desse tipo de insumo passa hoje por uma crise global e o Brasil, reconhecido internacionalmente pelo tamanho do Agronegócio, possui pouca autonomia na parte de fertilizantes — atualmente, cerca de 80% dos utilizados no agro brasileiro são importados. 

“O Brasil atingiu o recorde de importação de fertilizantes em 2019 e o nosso maior fornecedor é a Rússia. Então o quanto isso pode impactar a nossa economia, considerando todos os conflitos que estão acontecendo no país russo?”, reflete Thiago da Mata, Head de Customer Success da empresa, em live de lançamento do relatório.

Segundo a FreteBras, o estado de Sergipe pode ajudar a alcançar maior independência do setor. Em 2021, a retomada das atividades no estado da antiga Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen), hoje Unigel Agro, contribuiu bastante para o crescimento da produção dos insumos. Na plataforma, os fretes de fertilizantes aumentaram 173,7% de 2020 para 2021 em Sergipe. Além disso, representam 81,7% dos fretes sergipanos do agronegócio.

Outra peça chave na produção e transporte do insumo nacional é a Bahia. A Proquigel, do grupo Unigel, também retomou as atividades no Porto de Aratu em 2021. Por volta de agosto, ela começou a operar plenamente, o que justifica os mais de 10 mil fretes de fertilizantes contabilizados pela plataforma no mesmo mês.

“Ao todo, foram quase 82 mil fretes do produto na Bahia, o que representou um aumento de 122% comparado a 2020”, calcula o relatório.

No entanto, o transporte dos fertilizantes importados também teve destaque no documento. Só no porto de Paranaguá (PR), os fretes dos insumos tiveram um aumento de 59,5%. De janeiro a outubro de 2021, a quantidade de tais produtos importados subiu 10,4% quando comparada com o mesmo período de 2020, segundo dados da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). De maneira similar, o número de fretes desses produtos também cresceu nos portos de Rio Grande (RS) e Santos (SP).

“Os fretes de fertilizantes saltaram 168,8% em Rio Grande, passando de cerca de 20,4 para 54,8 mil, entre janeiro e outubro dos anos de 2020 e 2021”, afirma o relatório da FreteBras. Já em Santos, os fretes de adubos e fertilizantes com origem nessa cidade portuária aumentaram 124,8% no ano passado, de janeiro a outubro, na comparação com o mesmo período de 2020.

“Os fertilizantes agora representam 31% de fretes que a gente teve em 2021 do agro e em 2020 esse número era de 25%”, informa Thiago da Mata. “Então, para aqueles que tiverem a possibilidade de trabalhar dentro desse segmento, dentro dessas regiões, [o mercado de] fertilizantes ainda deve ter uma jornada promissora no Brasil.”

As exportações feitas pelo agro brasileiro também tiveram reflexo no aumento dos fretes em 2021, com grande destaque para a soja. De acordo com a Antaq, de janeiro a outubro do último ano foram movimentadas mais de 1 bilhão de toneladas de cargas pelos portos do país.

“O Brasil é uma força de abastecimento mundial. Nossos produtos transitam por inúmeros países ao redor do mundo, principalmente os do agronegócio”, afirma a 6ª edição do ‘Relatório FreteBras.

 

LEIA MAIS:

Plano Nacional de Fertilizantes quer reduzir dependência de importação

No Irã, ministra fala sobre comprar fertilizantes e exportar produtos brasileiros

ANTT informa reajuste médio de 9,64% do frete rodoviário