HomeEconomia

Conflito no leste europeu pode agravar inflação no Brasil

Conflito no leste europeu pode agravar inflação no Brasil

Da lavoura ao escritório, mães constroem futuro melhor por meio do agro
Mato Grosso tem 35 municípios na lista dos 100 mais ricos do agronegócio brasileiro
Liberar a caça esportiva de animais em MT ajuda ou atrapalha o produtor?

Inflação, desaceleração da atividade e desvalorização do real são três problemas da economia brasileira que podem se agravar com o conflito entre Rússia e Ucrânia .

De acordo com o economista Armando Castelar, pesquisador do FGV Ibre (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas), a história mostra que choques geopolíticos têm uma duração não muito longa, mas são muito intensos e podem deixar impactos permanentes na inflação e no crescimento econômico.

“A aversão a risco é o impacto dominante a curto prazo. O dólar se valoriza contra outras moedas. O câmbio, que vinha caminhando em uma boa direção [no Brasil], virou”, afirmou a Folha.

O conflito nem bem tinha começado e fez disparar o preço do petróleo. O barril ultrapassou US$ 100, o que pode elevar o custo dos combustíveis, componentes de maior peso do nosso principal índice de inflação (IPCA).

“As pressões sobre os [preços dos] combustíveis afetam o mundo inteiro. Piora ainda mais uma inflação que já está muito elevada”, diz o economista-chefe da MB Associados, Sérgio Vale, à CNN Brasil na quinta-feira, 24/02. “Se tem mais inflação, será necessário subir mais os juros, e juros mais altos dificultam o crescimento lá na frente.”

Para a A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), esse movimento vai atingir em cheio o agronegocio não apenas por conta do aumento nos custos de produção, mas por possível interrupções no fornecimento de fertilizantes e insumos vindos s da Rússia.

“Muitos produtores não fecharam a compra de fertilizantes diante da queda projetada nos preços dos insumos a partir do segundo trimestre. Agora, precisamos rever as estratégias, é algo que pode mexer com o próprio
abastecimento brasileiro”, afirmou ao Valor o diretor técnico da entidade, Bruno Lucchi.

O caso de insumos para fertilizantes tem mais um agravante. Além da Rússia e da Ucrânia, a Belarus, responsável por 20% do abastecimento brasileiro de potássio, com as sanções internacionais impostas e ela, já apresenta problemas com exportação do produto.

“Os países representam 40% do mercado mundial de potássio. Com problemas nos dois países, temos séria complicação para ter potássio na próxima safra”, afirmou. Ele acredita que o problema pode “bagunçar o comércio
mundial”, mesmo com os esforos da ministra de importar insumos do Canadá e Marrocos.

“Esperamos que a situação não evolua e que o conflito seja resolvido o quanto antes. Se houver desdobramentos derivados de diversos fatores interligados, teremos problemas de ordem mundial”.

LEIA MAIS:

Preços de fertilizantes sobem no País com crise entre Rússia e Ucrânia

O que a guerra na Ucrânia tem a ver com os preços do nosso dia a dia