HomeProdutividadePecuária

Ministério altera calendário de vacinação contra febre aftosa

Ministério altera calendário de vacinação contra febre aftosaPrimeira etapa de vacinação será para animais jovens. Foto: Chico Valdiner/Gcom/MT

MT vacina 99,83% do rebanho elegível em 2ª etapa da campanha da aftosa
Mapa anuncia inversão nas etapas de vacinação contra febre aftosa em dez Estados
Produtor rural tem papel fundamental no controle da febre aftosa

O Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) alterou as etapas de vacinação contra a febre aftosa para garantir a oferta e equacionar a demanda de vacina com o cronograma de produção da indústria. A decisão do Mapa foi tomada em acordo com Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para a Saúde Animal (Sindan).

Além de Mato Grosso, o Departamento de Saúde Animal (DSA) definiu pela inversão das estratégias de vacinação nos demais Estados que compõe o bloco IV do Plano Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFAA): Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Sergipe, São Paulo e Tocantins.

Em 2022, a primeira etapa de vacinação, em maio, será destinada aos animais jovens, de até 24 meses. A segunda etapa, no mês de novembro, vai imunizar os animais de todas as idades.

Os produtores que comunicarem ao Indea a vacinação dos bovinos e bubalinos até dois anos de idade terão sua propriedade adimplente. Animais acima de 24 meses, com histórico de vacinação nas etapas anteriores, poderão ser movimentados normalmente e sem a necessidade de vacinação no destino quando se tratar de propriedades localizadas em outros estados que praticam a vacinação e que não compõem o bloco IV.

Para o coordenador de Sanidade Animal do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea), Felipe Peixoto, Mato Grosso já vacinava desta forma até 2016 e, em 2017, houve a inversão do calendário, mas por solicitação do setor produtivo.

“Do ponto de vista técnico não há impacto. Desde que possamos promover ampla divulgação com alcance a todos os produtores rurais e lojas veterinárias, visando evitar a aplicação da vacina em animais adultos”.

Fonte: Governo de Mato Grosso