HomeAgriculturaTecnologia

Agro terá R$ 40 mi para desenvolvimento de projetos tecnológicos

Agro terá R$ 40 mi para desenvolvimento de projetos tecnológicosO PronaSolos é um dos projetos selecionados. Foto: Mapa

Estudo da Embrapa quantifica emissão de metano em arroz irrigado
Arroz é alternativa viável para reduzir custos de produção de aves e suínos
Manejo da fertilidade do solo gera lucro e sustentabilidade às pastagens

O Governo Federal, por meio Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), anunciou na segunda-feira, 28/3, investimentos de R$ 40 milhões para o desenvolvimento de soluções tecnológicas no setor agropecuário. O anúncio foi feito pelo ministro do MCTI, astronauta Marcos Pontes numa cerimônia que contou com a presença da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, do presidente da FINEP/MCTI, Waldemar Barroso, do secretário de Pesquisa e Formação Científica do MCTI, Marcelo Morales, do diretor de Inovação da FINEP/MCTI, Otávio Burgardt e do secretário de Inovação, Desenvolvimento Sustentável e Irrigação do MAPA, Fernando Camargo.

São quatro encomendas contratadas pelo MCTI, por meio da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), vinculada ao Ministério, com recursos oriundos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Tecnológico (FNDCT), com valor total aproximado de R$ 40 milhões. Os projetos serão desenvolvidos por universidades e centros de pesquisa especializados.

Os projetos

Rede FertBrasil – Governança e soluções tecnológicas para o aumento da eficiência agronômica dos fertilizantes. O projeto FertBrasil, executado pela Embrapa, tem o objetivo de consolidar a rede como referência para a geração de tecnologias, processos e serviços que alavanquem uma nova indústria nacional de fertilizantes, aumentem a eficiência de uso e minimizem o impacto ambiental negativo dos fertilizantes e insumos para a nutrição de plantas. O projeto possui recursos de cerca de R$ 11 milhões para execução no prazo de 24 meses.

Pesquisa e Desenvolvimento para produção do fermento Terroir do Semiárido brasileiro para aplicação em produtos lácteos. Projeto executado pelo Instituto Nacional do Semiárido (INSA), unidade de pesquisa do MCTI. O objetivo desta proposta é de desenvolver tecnologicamente fermentos autóctones, tidos como “Terroir do Semiárido Brasileiro”. Recurso de R$ 6,6 milhões num prazo de 36 meses.

Novas tecnologias de avaliacão genética aplicadas aos Programas de Melhoramento da Cana-de-açúcar. Conduzido pela Universidade Federal de Goiás (UFG) com a participação de outras universidades brasileiras, inclui o desenvolvimento de plataformas de fenotipagem em larga escala, desenvolvimento de variedades transgênicas de cana-de-açúcar, caracterização molecular de bancos de germoplasma de cana-de-açúcar e cana-energia e desenvolvimento e uso de seleção genômica nos programas de melhoramento genético. Projeto com recursos de cerca de R$ 12 milhões e prazo de execução de 36 meses.

PronaSolos: Rede para o avanço científico e tecnológico aplicado às múltiplas funcionalidades do solo. Executado pela Embrapa Solos com o objetivo de estabelecer uma rede de pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) para ampliação da capacidade nacional e competitiva em C&T.  Também visa o desenvolvimento e aperfeiçoamento de conhecimento e de tecnologias relativos ao levantamento de solos e sua interpretação de uso em escalas iguais ou mais detalhadas que 1:100.000, compatíveis ao planejamento rural estadual, municipal e de microbacias hidrográficas. Os dados são indispensáveis para garantir o desenvolvimento agroambiental sustentável no Brasil. O projeto possui recursos de cerca de R$ 12 milhões com prazo de execução de 24 meses.

Fonte: MCTI