HomeTecnologia

Verde Agritech investe em adubos aditivados com microrganismos

Verde Agritech investe em adubos aditivados com microrganismosTecnologia foi desenvolvida por três universidades. Foto: Verde AgriTech

Caravana Embrapa FertBrasil começa a percorrer o País no dia 10
Alta de gás faz Yara reduzir produção de fertilizantes na Europa
Estoque de fertilizantes no País dá para quatro meses, diz consultor

A Verde Agritech, empresa de fertilizantes minerais, entrou recentemente no mercado de adubos aditivados com microrganismos. Em nota, a companhia informou que a tecnologia, batizada de Bio Revolution, foi autorizada pelo Ministério da Agricultura no último mês de março e será apresentada nesta semana no 8º Encontro Técnico de Agricultura Sustentável, em Rio Verde (GO).

A tecnologia, em estudo desde 2015, foi desenvolvida em parceria com pesquisadores das Universidades Federais de Minas Gerais (UFMG), de Mato Grosso (UFMT) e de São Carlos (UFSCar).

A Bio Revolution adiciona a rizobactéria Bacillus aryabhattai aos fertilizantes já produzidos pela empresa. Segundo a fabricante, a tecnologia é “inédita” e trata-se da primeira fabricante do mundo a aditivar fertilizantes com microrganismos. “A tecnologia também favorece a redução de custos de produção, reduzindo a necessidade de novas entradas na plantação, o ganho de produtividade das culturas e a sustentabilidade das fazendas”, diz o fundador da empresa, Cristiano Veloso.

A Verde afirmou também que, atualmente, possui capacidade para produzir fertilizante aditivado com microrganismos para 500 mil hectares por ano. Com a operação de sua segunda planta de produção, prevista para início até o fim do ano, a sua capacidade instalada passará para atendimento de 2,5 milhões de hectares. A companhia informou que estuda ainda a aditivação de fertilizantes por outros três microrganismos.

Fonte: Estadão Conteúdo