HomeEcologia

Desmate pode impedir exportações de 230 mil propriedades à Europa

Desmate pode impedir exportações de 230 mil propriedades à EuropaImagens de satélite mostram que desmate foi feito após prazo da norma.Foto: Agência Senado

Amazônia vira tema de destaque entre os presidenciáveis
COP28: Brasil apresenta projeto para recuperação de pastagens
Um bilhão de vacas na Amazônia e no mundo podem sofrer por estresse térmico

Por André Garcia

As restrições impostas pela União Europeia a produtos oriundos de áreas desmatadas podem afetar cerca de 230 mil propriedades rurais no Brasil. O número representa 3,1% dos 7,5 milhões de imóveis inscritos no Cadastro Ambiental Rural (CAR), conforme dados publicados nesta semana pelo MapBiomas.

O MapBiomas Alerta identificou 208.522 alertas, com uma área total de 4.885.688 hectares de conversão da vegetação nativa, cujas imagens de antes são a partir da data de 1 de janeiro de 2021. A imagem de alta resolução comprova que essas áreas eram vegetação nativa até o prazo estabelecido na regra.

Além disso, o Relatório de Desmatamento Anual (RAD) aponta que mais de 93% da área desmatada no Brasil em 2023 tiveram pelo menos um indício de irregularidade, ou seja, não cruzam espacialmente com autorizações ou estão dentro de territórios protegidos.

A nova regulamentação europeia (Regulamento para Produtos Livres de Desmatamento ou European Union Deforestation-Free Regulation) começa a ser cobrada a partir de 30 de dezembro de 2024 e uma das proibições é a compra de produtos provenientes de áreas florestais desmatadas após 31 de dezembro de 2020.

Neste contexto, os biomas com maiores áreas são Amazônia, com 2.269.225 ha e Cerrado, com 2.033.071 ha desmatados após 31 de dezembro de 2020.

Segundo o levantamento, 57,3% dessa área desmatada é de formações florestais e estão completamente incluídas na definição de floresta da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

“O mapeamento das formações savânicas ocupa 38,5% da área e está parcialmente incluída na definição da FAO. Formações campestres e outras formações nativas não estão incluídas atualmente e ocupam 4,2%”, diz o relatório.

LEIA MAIS:

Nova lei ESG aprovada pela União Europeia terá reflexos no Brasil

Para Fávaro, União Europeia precisa respeitar soberania nacional

Produtores da América do Sul pedem revisão de Lei da União Europeia

SRB repudia proposta da União Europeia de barrar importação de áreas desmatadas

Agro tenta aliviar reflexos das novas exigências da União Europeia

União Europeia adota lei que proíbe produtos ligados a desmatamento