HomeEcologia

MT tem maior número de focos de queimada em março

MT tem maior número de focos de queimada em marçoAlta nos focos é atribuído às altas temperaturas. Valter Campanato/Agência Brasil

Inteligência Artificial vai ajudar a combater queimadas na Amazônia
Presidente defende política ambiental do país na Assembleia-Geral da ONU
O rastro da destruição na Amazônia visto do alto

Por André Garcia

Mato Grosso lidera o ranking das queimadas no Brasil em março, com 1.624 registrados entre 1 e 31 de março. Os dados são do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e mostram que desde janeiro o estado acumula um total de 3.334 focos, ficando atrás apenas de Roraima, que somou 4.093 nos primeiros três meses do ano.

O número também representa um recorde para Mato Grosso, sendo o mais alto registrado no primeiro trimestre desde o início do monitoramento do Inpe, em 1999. Para se ter ideia, em relação a 2023, a taxa apresentou um salto de 155%, passando de 1.331 para 3.404.

No Centro Oeste, a situação também é preocupante em Mato Grosso do Sul e Goiás, que chegaram a 848 e 465 focos no período, respectivamente. Na região, vale destacar que os municípios com maiores índices são Corumbá (MS) com 250 focos, Nova Maringá (MT) com 231 e Brasnorte (MT) com 193.

Entre os biomas, a Amazônia é maior atingida pelos incêndios, com a marca de 7.871, seguida pelo Cerrado, com 3.660.

Manejo do fogo

Ao G1, o coordenador do núcleo de inteligência territorial do Instituto Centro de Vida (ICV), Vinicius Silgueiro, explicou que a maioria dos focos de incêndio acontecem em áreas de transição onde há propriedades rurais de expansão da prática produtiva.

“Mais de 90% estão ocorrendo em imóveis com atividades agropecuárias. O uso do fogo em áreas de conversão para soja ou pastagem é o que os dados têm mostrado. Áreas de expansão em que o fogo é usado no processo de limpeza”, disse.

Além disso, o aumento nos focos é atribuído às altas temperaturas, especialmente pelo efeito do El Niño desde o ano passado.

“Neste ano, a partir de julho, há 75% de probabilidade de influência do La Niña que infelizmente vai fazer com que a chuva comece um pouco mais tarde. Por isso, o fogo tende a permanecer mais tempo quando ele é iniciado”, explicou.

LEIA MAIS:

Mato Grosso lidera registros de queimadas no País em 2024

Queimadas crescem em 2023 e Amazônia é bioma mais afetado

Calor intensifica queimadas no Pantanal e situação é de emergência

Queimadas aumentaram 40% no Centro-Oeste em outubro

Inteligência Artificial vai ajudar a combater queimadas na Amazônia

Amazônia e Cerrado concentram 84% das queimadas no Brasil