HomeMato Grosso, Terra de...

Amendoim, ótima alternativa para diversificar sistema de produção

Amendoim, ótima alternativa para diversificar sistema de produçãoPlantação de amendoim em Santo Antônio do Leste. Foto Jair Heuert/Embrapa

Programa recupera pastagens e aumenta em quatro vezes lotação animal
Contratações do Plano Safra 2021/2022 chegam a R$ 131,4 bilhões em cinco meses
Contra perda R$ 80 bi por ano, Brasil precisa diversificar matriz energética, diz economista

Por Vinicius Marques

Você sabia que a plantação de amendoim demanda menos quantidade de fertilizantes, quando comparada a produções como milho e sorgo? Já em crescimento no País, essa cultura tem ganhado espaço em Mato Grosso nos últimos cinco anos, com destaque para municípios como Santo Antônio do Leste, Sorriso e Nova Ubiratã.

As colheitas especiais, como gergelim, amendoim, milho pipoca, entre outras  – além das chamadas  pulses (feijões, grão-de-bico, lentilha e ervilha) -, têm despertado o interesse dos produtores de Mato Grosso como alternativas para diversificar o sistema de produção, segundo a Embrapa.

Segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção total de amendoim no País cresceu 20,2% da safra anterior para a de 2021/22, com um aumento de 18,1% em áreas de cultivo. De acordo com Taís Suassuna — pesquisadora da Embrapa especialista no melhoramento do cultivo de amendoim —, a leguminosa tem expandido para além de São Paulo e se adaptado muito bem nas regiões de Cerrado.

“No Estado de Mato Grosso, temos observado condições ótimas para o amendoim”, comenta Suassuna em entrevista exclusiva ao Gigante 163. “As chuvas são muito mais regulares do que na região sudeste do país, onde a plantação predomina. São condições que possibilitam não só grande produtividade, mas também qualidade.”

Quais os benefícios de cultivar amendoim?

De acordo com a pesquisadora da Embrapa, a safra da leguminosa não exige tantos fertilizantes quanto outras culturas, necessitando apenas de um solo com bons indicativos de fertilidade. O amendoim não demanda, por exemplo, quantidades relevantes de insumos nitrogenados, uma vez que obtém o nitrogênio por meio da fixação biológica. Isso permite, com o tempo, que o produtor gaste menos com adubação em safras menores, garantindo assim um bom retorno com sua comercialização.

“[O amendoim] facilmente estabelece uma associação com as bactérias fixadoras de nitrogênio”, explica Suassuna. ” A simbiose feita com as rizobactérias ocorre facilmente, até mesmo espontaneamente em alguns locais. Mas também existem o inoculantes comerciais para facilitar o processo.”

Além disso, a cultura é uma ótima opção para o sistema de rotação de culturas anuais. “Isso traz benefícios ao produtor, tanto por fornecer diversidade botânica à fazenda, como também por apresentar uma fonte de renda variada e diferenciada no mercado agrícola”, aponta Suassuna.

Qual melhor época do ano para plantar amendoim?

“O amendoim é uma cultura plantada normalmente na safra de verão (chamadas das águas)”, afirma a pesquisadora da Embrapa. Em Mato Grosso, o plantio tem ocorrido entre o final de outubro e começo de novembro, a depender de cada ano. “O ciclo dura em torno de 130 a 140 dias, variando conforme o local a ser cultivado”, completa Suassuna.

“Para ter um produto de qualidade, o amendoim precisa de locais com disponibilidade hídrica durante todo o ciclo da cultura. Então se for um um plantio de sequeiro (sem irrigação), seria ideal plantar em uma época que garantisse a ocorrência de chuvas até a colheita”, diz a especialista.

Quais os custos de se plantar amendoim?

Os principais custos no cultivo do amendoim são: o valor da semente, que tende a ser mais elevado; o manejo das doenças foliares (muito comuns na leguminosa) e, na parte de nutrientes necessários entre os insumos, destacam-se o magnésio e o cálcio.

LEIA MAIS:

Gergelim, o superalimento que cresceu 170% no País

Crise de fertilizantes expõe nova batalha do agro por mais fertilidade do solo