HomePecuária

Empresas de alimentos da Espanha usam soja de desmatamento, diz estudo

Empresas de alimentos da Espanha usam soja de desmatamento, diz estudoJamón, produto tradicional espanhol, pode estar ligado ao desmate. Foto: reprodução

Bunge anuncia intenção de adquirir participação minoritária na Pantanal Agrícola
Bunge define meta de reduzir emissões de gases em 25% até 2030
França vincula Bunge e Cargill a cadeias produtivas de soja com risco de desmatamento

A conexão entre grandes marcas de carne suína da Espanha – leia-se jamón – com a produção de soja que desmata as regiões da Amazônia e do Cerrado brasileiros virou assunto na imprensa europeia nos últimos dias.

A conclusão é fruto do relatório ‘Engordado com o desmatamento’, da ONG espanhola Carro de Combate, que seguiu durante seis meses o rastro das principais empresas de carnes e rações da Espanha com os grandes distribuidores de matérias-primas, Cargill e Bunge, e suas importações de soja do Brasil.

A legislação europeia proposta, prevista para este ano, vai proibir a entrada na Europa de certas matérias-primas que podem estar ligadas ao desmatamento. No entanto, não impedirá a importação de soja ligada à destruição do Cerrado  porque a legislação se limita às florestas tropicais.

Ao mesmo tempo, a pressão sobre o Cerrado aumentou nos últimos anos e cresceu ainda mais depois que a guerra na Ucrânia afetou as cadeias de suprimentos da indústria de ração, levando a Espanha a buscar suprimentos alternativos nas Américas.

Alguns destaques do estudo:

  • A Espanha é o segundo maior produtor de ração da Europa. Em 2020, dois terços das 3,5 milhões de toneladas de soja importadas para a Espanha vieram do Brasil, das quais 87% foram utilizadas na produção de ração.
  • De acordo com o CESFAC, o empregador de ração na Espanha, 41% da soja importada do Brasil vem do Cerrado e 31% da Amazônia.
  • O desmatamento no Cerrado cresce a cada ano e foi 8% maior em 2021 do que em 2020. Desde 1970, metade do cerrado desapareceu.
  • As multinacionais Cargill e Bunge são as principais importadoras de soja na Espanha, com 59% das importações do Brasil em 2018. Uma investigação recente revelou que Cargill e Bunge implementaram apenas medidas parciais para reduzir o desmatamento e que mesmo as áreas prioritárias nas ações da empresa viram um aumento de 34% no desmatamento entre 2018 e 2020.
  • Várias empresas de carnes ligadas à soja do Cerrado, como Campofrío, Vall Companys e Grupo Fuertes, se beneficiam de fundos europeus destinados, pelo menos em parte, a promover uma agricultura mais sustentável e a redução de emissões no setor agroalimentar.
  • A indústria de ração espanhola sustenta que 71 % da soja importada na Espanha é de “baixo risco de desmatamento”, mesmo que sua própria investigação admita que metade dos produtores de ração não tem informações sobre a sustentabilidade da soja que utilizam.