HomeEcologiaProdutividade

Alta na temperatura deve derrubar rendimento dos grãos no Cerrado, diz estudo

Alta na temperatura deve derrubar rendimento dos grãos no Cerrado, diz estudoMesmo em cenário mais quente, Plantio Direto tem melhor resultado. Foto: Embrapa Cerrados

Cerrado e a Amazônia concentraram 86% da área queimada no Brasil
Cerrado vive pior seca em 700 anos e cenário deve piorar
Soja sustentável terá investimento de mais de R$ 200 milhões

Por André Garcia

As emissões de óxido nitroso (N2O), um dos gases do efeito estufa (GEE), ficarão cada vez maiores com o aumento da temperatura no Cerrado, resultando em queda na produção de biomassa e no rendimento dos grãos. É o que aponta estudo da Embrapa Cerrados que considerou o impacto do aquecimento da região sobre diferentes sistemas de manejo em um período de 50 anos.

As simulações também mostraram que os sistemas agrícolas que utilizam plantas de cobertura como o Sistema Plantio Direto, apesar da redução de produtividade com o passar dos anos, são, em média, mais produtivos e emitem menos N2O em comparação aos sistemas convencionais.

“Acreditamos que o aumento nas emissões ao longo dos anos está relacionado ao aumento da temperatura e à redução do ciclo das culturas, e que os efeitos são mais pronunciados nos sistemas de manejo do solo convencionais”, explica o pesquisador Fernando Macena.

O estudo foi realizado em um experimento de longa duração implantado em 1995, no qual foram avaliados três sistemas de uso do solo: preparo convencional com grade de discos e rotação bianual de gramínea/leguminosa (milho/soja) (CT); plantio direto, com sucessão cultural leguminosa-gramínea (soja/sorgo) (NT1); e plantio direto, com sucessão gramínea-leguminosa (milho/feijão guandu) (NT2).

Crédito: Embrapa Cerrados

De acordo com a Embrapa, em relação à produção média de biomassa simulada para as próximas cinco décadas, o milho no plantio direto apresentou produção 30,2% superior ao milho em sistema convencional. No caso da soja, a produção média anual de biomassa foi de 55,7% a mais no tratamento de plantio direto do que no preparo convencional.

Já os dados de produtividade de grãos simulada pelo modelo mostram que a produtividade média do milho é significativamente maior no plantio direto, com 6,6 mil toneladas por hectare, do que no plantio convencional, que totalizou uma média de 5,87 mil toneladas por hectare.

A soja, por sua vez, não apresentou diferença significativa entre os tratamentos, com valores médios de 1,599 toneladas por hectare para o sistema convencional e 1,574 tonelada por hectare no plantio direto.

Vale destacar que em todos os sistemas de manejo avaliados há uma diminuição significativa na produtividade de grãos da primeira para a última década do período, seguindo a mesma tendência observada para a biomassa.

Temperatura

A partir de um modelo chamado “ETA-HADGEM”, os pesquisadores constataram uma tendência de aumento das temperaturas médias, máximas e mínimas anuais no período de 2021 a 2070 para o Cerrado. Os resultados indicam alta até 1,8º C na média de temperaturas mínimas diárias, e 2,2º C na média de temperaturas máximas diárias para o período analisado.

O aumento mais significativo ocorre no terceiro quadrimestre do ano, que coincide com o início da estação quente e chuvosa (verão) e o início da semeadura e crescimento das culturas na região.

“Com base neste aumento podemos concluir, a partir dos dados gerados pelo modelo STICS, que há fortes evidências de que o rendimento de grãos e a biomassa na aérea total das plantas diminuirão, o que pode provocar um impacto grave no setor agrícola da região”, afirma o pesquisador.

Crédito: Embrapa Cerrados

LEIA MAIS:

Temperatura global de janeiro foi a mais alta registrada, diz Copernicus

Clima causa indefinição na escolha de cultivares de soja em MT

Clima ainda será ameaça de prejuízo ao agro em 2024, diz especialista

Anec eleva estimativa de embarques de soja para até 15,13 milhões de t

Avanço da colheita de soja confirma efeitos da crise climática

Colheita de soja desacelera e preços ensaiam recuperação

Seca e clima quente levam novo corte em estimativa para soja

Sindicado estima ‘impactos devastadores’ na cadeia da soja

Produtores pedem ajuda ao governo para enfrentar crise na soja