HomeEcologiaEconomia

Seca faz hidrelétricas reterem água em reservatórios

Seca faz hidrelétricas reterem água em reservatóriosUsina Hidrelétrica Jupiá. Foto: Divulgação/CTG Brasil

Devastação autorizada faz desmate bater recorde no Cerrado
Setor de transportes e bancada do agro se posicionam contra bloqueio de estradas
Aprovado fundo climático de perdas e danos para países vulneráveis

Por  André Garcia

Para além do prejuízo nas lavouras, a falta de chuva já ameaça os reservatórios de hidrelétricas nas regiões Centro-Oeste e Sudeste. Na quarta-feira, 6/3, o Ministério de Minas e Energia determinou a redução da saída de água nas usinas de Jupiá e Porto Primavera, no Rio Paraná, entre São Paulo e Mato Grosso do Sul.

A medida, anunciada durante reunião do Comitê de Monitoramento do Sistema Elétrico (CMSE), considera que os reservatórios apresentam os níveis mais baixos em três anos e prevê ainda a retenção nas usinas de cabeceira.

De acordo com o MME, isso deve preservar cerca de 11% de armazenamento na Bacia do Paraná até agosto e cerca de 7% nas regiões Sudeste e Centro-Oeste. As UHEs Jupiá e Porto Primavera devem reduzir as defluências mínimas para 3.300 metros cúbicos por segundo e 3.900 metros cúbicos por segundo, respectivamente.

“Vamos tomar as medidas necessárias para garantir o suprimento energético e manter o nível dos reservatórios. O setor elétrico tem que estar sempre atento para evitar imprevistos e priorizar a segurança aos consumidores”, afirmou o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira.

 

Ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira. Foto: Ricardo Botelho/MME

Seca

Como já mostramos, o Centro-Oeste tem 94% de seu território atingido pela seca, a maior porcentagem entre as regiões brasileiras. Além disso, é a única região onde a estiagem se tornou mais severa, com aumento excepcional de 1% entre dezembro de 2023 e janeiro de 2024.

Mato Grosso do Sul, por onde passa o Rio Paraná, está entre os nove estados do Brasil onde a estiagem ficou mais intensa no período analisado. Lá, a situação foi agravada pelo aumento da área com seca moderada de 9% para 17%, o que levou o estado à condição mais severa desde abril de 2023, quando foi registrada gravidade em 1% do território.

Reservatórios

Em fevereiro, foram verificados armazenamentos equivalentes de cerca de 65%, 68%, 66% e 77% nas regiões Sudeste/Centro-Oeste, Sul, Nordeste e Norte, respectivamente. Em todo o Sistema Interligado Nacional (SIN), o armazenamento foi de aproximadamente 66% no final de fevereiro, portanto, 14,1 % abaixo em relação ao mesmo período de 2023.

LEIA MAIS:

Seca se intensifica no Centro-Oeste; GO e MS são os que mais sofrem

Pantanal pode ter uma das piores secas de sua história neste ano

Aquecimento global torna “seca agrícola” 3 vezes mais provável

Mudança climática elevou chance de seca em 30 vezes na Amazônia

Mudança climática: seca avança pelo Brasil, que registra 1ª região árida

Seca coloca cidades de GO em emergência e calamidade

Brasileiros percebem mudança climática severa, diz pesquisa