HomeEcologia

Veja ações de Mato Grosso para proteção dos seus três biomas

Veja ações de Mato Grosso para proteção dos seus três biomasCerrado mato-grossense precisa de proteção contra crimes ambientais. Foto: Secom-MT

Governo envia mudança em projeto de lei para reforçar Plano Safra
Inscrições abertas para o encontro “Política Florestal e Agronegócio”
Medida Provisória de socorro a agronegócio pode liberar R$ 1,2 bilhão

Nesta semana que antecede o Dia Mundial do Meio Ambiente, 5/6, Gigante 163 preparou um pequeno resumo de ações do governo de Mato Grosso para proteger os seus três biomas (Amazônia, Pantanal e Cerrado), vitais para a sustentação da nossa agricultura. Confira.

Combate a crimes ambientais

A Operação Cedif, com cerca de 100 homens, foi montada para combater o avanço do fogo no Estado durante a temporada de seca neste 2022. Tem o apoio técnico de brigadistas capacitados, com uso de abafadores sustentáveis, e conta com campanhas de conscientização e monitoramento local.

Monitoramento florestal contínuo

O Mato Grosso é o Estado que mais monitora a supressão de sua vegetação nativa e é um dos mais ativos em reagir a ações ilegais. Segundo o MapBiomas, o governo averiguou 29,5% de um total de 13 mil alertas de desmatamento (cerca de 95% destes ilegais) e tomou alguma forma de ação em 40,5% dos casos. 

Isso se deve ao uso de satélites, desde 2019, fazendo com que o Estado reduzisse em mais de 30% os alertas de cortes ilegais entre 2020 e 2021 por meio da fiscalização espacial 24h por dia.

Promoção da agricultura familiar

O Projeto MT Produtivo, lançado em 2019, fornece equipamentos agrícolas a pequenos produtores no Estado. Cerca de 125 mil famílias (60% da população rural do Estado) se dedicam à agricultura familiar em Mato Grosso.

O investimento do programa governamental é de R$ 185 milhões para cadeias como a de café, cacau e leite.

Como é sabido, o agricultor familiar é um grande aliado do meio ambiente pelo uso que faz de insumos biológicos, pelo cuidado com o solo e por valorizar a floresta em pé como forma de agregar valor ao que produz.

Novo sistema de infrações ambientais

Com lançamento previsto para o início de junho, o SIGA Responsabilização será o novo sistema de infrações ambientais do Estado, que tem o propósito de digitalizar todos os processos e facilitar o encaminhamento dos autuados por crimes às autoridades.

Instituto PCI

Criado em fevereiro de 2019 como ferramenta privada para a implementação da Estratégia PCI (Produzir, Conservar e Incluir) de desenvolvimento sustentável do Estado, o instituto vai gerenciar parcerias entre o Estado e o setor privado para tornar a agropecuária mato-grossense cada dia mais sustentável. Há metas robustas para seus três eixos. No que se refere à conservação, são elas:

  • Manter 60% da cobertura de vegetação nativa do Estado de Mato Grosso.
  • Reduzir em 90% o desmatamento na floresta, tendo como referência a linha de base: 2001-2010 (PRODES) de 5.714 km², alcançando 571 km²/ano até 2030.
  • Reduzir em 95% o desmatamento no Cerrado, tendo como referência a linha de base de 3.016 km² (SEMA), alcançando 150 km²/ano até 2030.
  • Eliminar o desmatamento ilegal até 2020.
  • Compensar 1M ha de área passível de desmatamento legal.

LEIA MAIS:

Cerco ‘se fecha’ contra fornecedor de carne ilegal, diz gerente da PCI

EUA propõem Lei Florestal que pode barrar exportações do Brasil por desmatamento

Reserva Extrativista Guariba-Roosevelt é alvo de grilagem com perda de 1.778 hectares

Combate ao fogo vai contar com brigadistas indígenas na aldeia Urubu Branco

Agrotóxico comum no Brasil pode colocar em risco abelhas nativas, diz estudo