HomeEconomiaProdutividade

Imea faz novo corte em estimativas e soja chega ao menor nível em 3 anos

Imea faz novo corte em estimativas e soja chega ao menor nível em 3 anosTotal de reduções nos dois produtos é de 15%. Foto: Paulo Whitaker/ Reuters

Agronegócio é diferencial para crescimento populacional em MT
Clima desfavorável reduz produção nacional de soja no Brasil
OCDE eleva previsão para crescimento do PIB do Brasil

Por André Garcia

As safras de soja e de milho de Mato Grosso, maior produtor de grãos do País, sofreram novo corte nas estimativas. A redução mensal de 1,5%, divulgada na segunda-feira, 5/2 pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), reflete os impactos da seca e dos preços mais baixos.

Na comparação com os recordes produtivos registrados na temporada passada,as estimativas do Imea apontam para um total de reduções de mais de 15% para os dois produtos.

A safra estadual foi estimada em 38,44 milhões de toneladas, queda de 1,44% ante previsão de janeiro e de 15,17%  em relação ao ciclo passado. A colheita atingiu quase 40% da área plantada até a última sexta-feira, 2/2.

“Vale ressaltar que as lavouras mais tardias ainda estão com a produtividade em aberto, o que pode alterar a projeção aguardada para Mato Grosso nos próximos meses”, informa o Imea em relatório.

Já a safra de milho – cujo plantio está se desenvolvendo – foi estimada em 43,3 milhões de toneladas, queda de 1,09% ante previsão de janeiro e de 17,58% versus o ciclo passado. Mato-grossenses tinham semeado mais de um quarto da área até sexta-feira.

Queda nos preços da soja

O preço da soja no mercado disponível chegou ao menor nível em três anos: R$ 94,91 a saca de 60 quilos na semana passada. Queda das cotações na bolsa de Chicago, taxa de câmbio abaixo de R$ 5 e prêmios de exportação negativos nos portos brasileiros são algumas das causas apontadas pelo Imea.

“A curto prazo, o cenário para as cotações no Estado não é favorável, visto o início da colheita”, destacou o Instituto em boletim semanal.

Além do aumento da oferta interna, estimativas de produção maior que o consumo em escala global pressionam os preços em Chicago, com o contrato para março de 2024, o de prazo mais curto, abaixo dos US$ 11 por bushel.

Outras regiões do Brasil também acumulam queda de preços, apontam os indicadores da Bolsa Brasileira de Mercadorias (BBM). Em Barreiras e Luis Eduardo Magalhães, na Bahia, a saca valia R$ 104, queda de 15,45% no período de 30 dias encerrado na segunda-feira 5/2. Em Mato Grosso do Sul, o grão acumula retração de 20% no período, cotado a R$ 100 a saca.

LEIA MAIS:

Produtores pedem ajuda ao governo para enfrentar crise na soja

Safra de soja ficará abaixo de 150 milhões de toneladas, aponta Datagro

Safra de soja deve ser 7,12% menor em 2023/24, aponta Esalq

Em queda, preço da soja chega ao menor patamar desde agosto de 20

Seca derrubou potencial da soja em 15 milhões de toneladas

Mesmo com quebra de safra, preço da soja cai