HomeEconomiaProdutividade

IBGE prevê redução de 4,7% ne safra de grãos em 2024

IBGE prevê redução de 4,7% ne safra de grãos em 2024A queda na produção de soja (-0,8%) impactou a estimativa Foto: Gilson Abreu/AEN-PR

Mato Grosso lidera números de violência no campo no centro-oeste
Adotar boas práticas é vital para encarar crise climática, diz pesquisador
Calor extremo e El Niño aumentam expectativa para quebra na safra de grãos

Por André Garcia

A safra brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas deve totalizar 300,7 milhões de toneladas em 2024, valor 4,7% menor que o registrado em 2023 (315,4 milhões de toneladas). É o que mostra o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), divulgado nesta terça-feira, 12/3, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com a projeção, na comparação com janeiro, a queda foi de 0,9%, com decréscimo de 2,7 milhões de toneladas. Já a área a ser colhida deve ser de 78,0 milhões de hectares, um crescimento de 0,2% em relação a 2023. Frente ao mês anterior, a área a ser colhida apresentou uma expansão de 383,1 mil hectares (0,5%).

O gerente do LSPA, Carlos Barradas, explica que o aumento na estimativa da área a ser colhida, acompanhado de redução na produção, indica uma queda de produtividade. Ele também explica que esta redução decorre da instabilidade climática registrada nos últimos meses.

“Neste início de 2024, seguimos observando os efeitos dos eventos climáticos que aconteceram no ano passado, como o excesso de chuvas na região Sul e a falta delas no Centro-Oeste e no Norte. Além disso, como o volume de produção da soja é muito expressivo no País, a redução de 0,8% na variação mensal teve grande impacto no resultado geral, assim como as quedas nas estimativas de produção de trigo e milho”, disse.

MT lidera

Mato Grosso lidera como o maior produtor nacional de grãos, com participação de 27,9%, seguido por Paraná (13,5%), Rio Grande do Sul (13,4%), Goiás (10,1%), Mato Grosso do Sul (8,9%) e Minas Gerais (5,7%), que, somados, representaram 79,5% do total.

Com relação às participações das regiões brasileiras, o Centro-Oeste é o líder do ranking, com 47,1%, seguido pelo Sul, com 29,3%, Sudeste  com 9,3%, Nordeste com 8,6% e Norte com5,7%.

LEIA MAIS:

Quebra na soja deve ser maior que o projetado, acreditam produtores

Seca e clima quente levam novo corte em estimativa para soja

Sindicado estima ‘impactos devastadores’ na cadeia da soja

Imea faz novo corte em estimativas e soja chega ao menor nível em 3 anos

Produtores pedem ajuda ao governo para enfrentar crise na soja

Safra de soja ficará abaixo de 150 milhões de toneladas, aponta

Safra de soja deve ser 7,12% menor em 2023/24, aponta Esalq