HomeProdutividade

O que o Canadá espera do Brasil com exportação de carnes, segundo Acrimat

O que o Canadá espera do Brasil com exportação de carnes, segundo AcrimatCarne Nelore. Foto: Nelore do Golias/Divulgação

Entidades do agro assinam protocolo de intenções com o governo para levar internet a todo MT
Pecuaristas de MT devem confinar quase 530 mil bovinos em 2022
Exportação de carne bovina de MT cresce 42%

Por Vinicius Marques

Com a abertura do mercado canadense para a carne do Brasil, por meio de acordo feito no último mês, a criação sustentável do gado se mostra ainda mais necessária. Para Oswaldo Pereira Ribeiro Júnior, presidente da Acrimat (Associação dos Criadores de Mato Grosso), o Canadá possui altos padrões de sustentabilidade e importa apenas de frigoríficos qualificados.

“Com esse acordo, haverá um leve aumento na geração de empregos no país e certa redução na dependência que temos da China”, afirma Ribeiro Júnior em entrevista exclusiva ao Gigante 163. “Os produtores só precisam ter suas áreas regularizadas, pois o Canadá é um mercado exigente.”

Segundo Ribeiro Júnior, os importadores canadenses não toleram produções irregulares e não regulamentadas, “ainda mais em terras desmatadas ilegalmente”, diz. A Acrimat, segundo o presidente, orienta a todos os pecuaristas do Estado a se adequarem aos novos moldes de sustentabilidade, para que Mato Grosso não saia perdendo e tenha sua imagem manchada.

“O Brasil já tem condições de competir no mercado de sustentabilidade”, afirma o presidente da Acrimat. “Os produtores que ainda não se preocupam com as exigências socioambientais com certeza ficam para trás no mercado global, ficam de fora.”

LEIA MAIS:

Abertura de mercado canadense anima produtores de carne em MT

Selo Angus Sustentabilidade prevê lucratividade de certificação de carne

Projeto de boas práticas de pecuária pantaneira é ‘joia da coroa’

Estudo confirma potencial de redução de emissões na pecuária